30 de outubro de 2019

Exorcismo digital: Kaspersky ajuda você a se livrar dos fantasmas em seus celular

Empresa global de cibersegurança alerta para alguns dos descuidos mais comuns no comportamento digital de usuários

No Halloween, surgem várias histórias de horror, mas são aquelas relacionadas aos "fantasmas digitais" que devem realmente preocupar as pessoas. Dependendo da forma como elas navegam pela internet e usam seus dispositivos, alguns "espíritos" podem assustá-las e causar um grande desastre.

Pensando nisso, a Kaspersky, empresa global de cibersegurança, listou abaixo as quatro principais assombrações digitais que os usuários devem evitar nesse Dia das Bruxas:

  • O fantasma do seu ex: Durante um relacionamento, muitos casais optam por compartilhar logins e senhas de sites ou plataformas de vídeo. Por exemplo, eles têm playlists em comum, fotografias em redes sociais, além de possuir dados e informações pessoais, como acesso a e-mail e redes sociais; alguns deles até sincronizam serviços como calendários e álbuns de fotos online. Quando um relacionamento acaba, logins e senhas em comum talvez sejam a última preocupação – mas, quando este término não é pacífico, esta pode ser uma situação sensível. A parte mais aborrecida com o fim do relacionamento pode tirar o acesso às contas compartilhadas e até mesmo apagar informações relevantes.
  • Ex-funcionários: É cada vez mais frequente usar ferramentas de colaboração online para compartilhar documentos no ambiente de trabalho, incluindo  ferramentas externas à empresa, como nuvens públicas. O problema surge quando essa colaboração termina, seja porque o projeto foi concluído ou o funcionário foi desligado da empresa. Um grande ponto de atenção é que poucas pessoas se lembram de excluir essas informações ou limitar o acesso de ex-colaboradores.  De acordo com a pesquisa da Kaspersky "Eliminando a desordem digital nos negócios", um terço (33%) dos ex-funcionários têm acesso a arquivos e documentos de um empregador anterior, o que coloca a integridade dos dados da empresa em xeque. Definitivamente, ninguém gostaria de ver qualquer documento confidencial, como uma proposta comercial, tornando-se disponível para a concorrência.
  • Reencarnação de senhas: praticamente qualquer atividade online requer a criação de uma conta, seja para acessar uma rede social ou até fazer compras na internet. Cada serviço solicita a criação de um nome de usuário e senha e, à medida que sua complexidade aumenta, ela tende a ser Dos fantasmas digitais mais perigosos, senhas repetidas e simples demais – como aquelas que incluem suas iniciais e data de nascimento – são as que mais pedem atenção. De acordo com um estudo da Kaspersky, 35% dos brasileiros usam entre uma e três senhas para todas as suas contas online. Usar a mesma senha para e-mail ou banco em algum outro serviço online que pode ser violado coloca as informações (e finanças) em risco.
  • O cemitério dos apss: novos apps surgem todos os dias. Apesar de ser muito fácil baixá-los, nem sempre eles são de fato úteis e, em alguns casos, eles sequer executam a função esperada. A realidade é que os usuários acabam com muito mais aplicativos em seus telefones do que precisam. De acordo com a Kaspersky, de cada 100 aplicativos Android que os usuários podem gerenciar (ou seja, instalar e excluir), 83 têm acesso a dados confidenciais do usuário, como contatos, mensagens, e dados, e podem até mesmo fazer chamadas e enviar SMS, tornando-se um vetor de ataque.

"As informações e dispositivos do usuário são frequentemente expostos a uma variedade de riscos, causados pela falta de atenção. É importante tomar conhecimento do lastro digital que produzimos com nossa navegação e questionar quem pode ter acesso às nossas informações pessoais, além de quais serviços ou aplicações que registramos, mas não a usamos mais, e quando foi a última vez que mudamos nossa senha. Só assim poderemos agir em conformidade e assumir o controle de nossa vida digital", destaca Fábio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky.

Para evitar estes fantasmas, a Kaspersky recomenda cinco medidas que podem distanciar os usuários de espíritos digitais:

  1. Não compartilhe suas credenciais com ninguém. Se por algum motivo você teve que fazê-lo, altere suas senhas e retome o controle de suas contas;  
  2. Elimine o acesso total aos documentos na nuvem. Quando um colaborador for desligado do time, não se esqueça de remover seu acesso a serviços compartilhados.    
  3. Use senhas diferentes para cada serviço ou aplicativo. Certifique-se de que eles são longos, com 12 caracteres ou mais. Ninguém espera que você memorize todos eles, mas você pode usar   um gerenciador de senhas, como Kaspersky Password Manager, para lembrar uma senha mestre.
  4. Use uma solução de segurança, como o Kaspersky Security Cloud, que, além de proteger as informações em seus dispositivos, fornece alertas de violações de segurança para os diferentes serviços em que você está inscrito para alterar senhas que podem estar em risco.
  5. Ative a atualização automática para aplicativos em seus dispositivos e remova todos os aplicativos que você não usa. As versões não atualizadas podem conter vulnerabilidades.  

Articles related to Comunicados à imprensa