Cinco dicas para voar com segurança

Um avião no ar é um dos lugares mais seguros do planeta. No entanto, existem regras que devem ser cumpridas para que o voo seja uma experiência ainda mais confortável

Um avião no ar é um dos lugares mais seguros do planeta. No entanto, existem regras que devem ser cumpridas para que o voo seja uma experiência ainda mais confortável e agradável.

Dica #0 – Não entre em pânico! 

Se acontecer de você ter acrofobia (medo de altura) não adianta entrar em pânico quando você já estiver sentado. O melhor a fazer é acalmar os nervos e reconhecer que de fato nada depende de você.

Em vez de se preocupar com coisas que estão fora do seu controle, tente se concentrar em algo que você é muito capaz de fazer pela sua segurança

Dito isto, não tente ouvir o som dos motores ou olhar para um vislumbre de incerteza e medo nos rostos dos comissários de bordo. Como já observado anteriormente, ninguém iria deixar uma aeronave inoperante sair do aeroporto e, se surgir algum problema, os pilotos irão descobrir muito mais rápido do que você. Afinal, todas as luzes e monitores na cabine devem servir para alguma coisa.

Em vez de se preocupar com coisas que estão fora do seu controle, tente se concentrar em algo que você é muito capaz de fazer pela sua segurança.

Dica #1 – Aperte bem o cinto

Parece trivial, mas desde o momento que você sentar na poltrona destinada aperte o cinto de segurança. Se o mesmo estiver apenas afivelado, isto é, que se encontra livremente no seu colo é como estar sem cinto. A questão é que quando o avião está decolando, ele funciona a uma velocidade comparável à de um supercarro: cerca de 200 quilômetros por hora. Mas a decolagem pode ser abortada inesperadamente devido a várias razões: um carro apareceu na pista do nada ou outro avião taxiava à frente de você.

Os freios funcionam automaticamente: o sistema automatizado de controle para o chamado RTO (Rejeitar-ed Takeoff) posição que é projetado especificamente para reduzir ao máximo o modo de freio.

Quando a decolagem for abortada, o avião para totalmente em questão de segundos, rodando a aceleração cerca de 1,5 vezes maior do que em queda livre. Se você ainda não prendeu o cinto de segurança, você vai voar livremente para frente aproveitando a força motriz do momento e, na melhor das hipóteses, vai bater com a cabeça no assento à sua frente.

A distância entre os assentos é de cerca de 20 centímetros, e quando o cinto está bem presoo, será pouco provável que acerte o banco da frente, mas uma vez que seu cinto está, pelo menos, 5 polegadas solto, você certamente terá uma experiência muito impactante. Só para quantificar a sensação deste evento infeliz, tente experimentar gratuitamente cair de cabeça em uma cômoda. Bem, é claro, que eu não quis dizer “tentar” no sentido originalda palavra – apenas imagine a situação e aprenda a lição: aperte o cinto.

Esta também é a razão pela qual os comissários de bordo pedem para deixar as bandejas travadas durante a decolagem.

Dica #2. Apertem os cintos por toda a duração do voo

Mesmo quando o sinal de manter o cinto de segurança atado esteja desligado, é melhor continuar usando o seu cinto de segurança. Isto porque pode ocorrer uma turbulência, e outras colisões aéreas, .

Everything hit the ceiling–including some people. Little warning. Like falling off a cliff.

A photo posted by Alan Cross (@alan_crossx) on

Os passageiros que não estão usando o cinto pode, devido ao impulso, saltar para cima, acertando a cabeça. Pode parecer inacreditável, mas a física simples funciona assim.

Luckily, I was belted in.

A photo posted by Alan Cross (@alan_crossx) on

O lugar mais perigoso que você pode estar durante uma turbulência é o banheiro. Primeiro porque o lugar é muito restrito e segundo a estrutura do banheiro possue objetos proeminentes e o choque do corpo com algum deles pode ser fatal.

Isso significa que se um dia você estiver no banheiro durante um aviso de turbulência, termine o mais rápido possível o que você estiver fazendo e retorne para sua poltrona. A turbulência é um caso raro, mas experimentar essa situação no banheiro pode ser mais do que suficiente.

Dica #3 – Desligue todos os aparelhos eletrônicos

Naturalmente, os comissários de bordo estão lá para verificar se você desligou todos os seus aparelhos eletrônicos e avisá-lo que assim você deve fazê-lo. Então, os dispositivos eletrônicos representam algum perigo? Inicialmente, a sua utilização a bordo, foi proibida para evitar a possibilidade de interferência com o sistema eletrônico da aeronave.

No entanto, os sistemas eletrônicos envolvidos na condução do voo são bem monitorado. O avião não vai cair porque um passageiro está utilizando um tablet. Na pior das hipóteses, se a interferência de um dispositivo afetar o Sistema Instrumental de Aterrissagem (ILS, sigla em inglês) – o que é possível de ocorrer, devido ao fato dos receptores do ILS trabalharem em níveis de tensão  – o que pode ocorrer é que o piloto terá que dar uma volta e empreender uma segunda tentativa de pouso.

Mas, na realidade, a razão principal não é a interferência e sim a própria forma e peso dos dispositivos. Os tablets, laptops e smartphones são objetos relativamente pesados e duros. Por isso no caso de uma emergência (ver dica #1) estes aparelhos podem escorregar das mãos dos passageiros e causar danos em outras pessoa. Imagine a seguinte situação: uma pessoa deixa cair um iPad na sua cabeá a partir de um metro de altura.

Por que então os livros e revistas não são proibidos? Bem, eles são relativamente suaves. Alguns aviadores também apontam que, durante a decolagem e pouso, o passageiro não deve estar distraído e sim olhar para fora da janela, a fim de detectar irregularidades e informar imediatamente à tripulação. Isso também pode ser uma razão para que os comissários de bordo solicitem que os passageiros levantem os protetores das janelas.

Mas eu diria que a razão principal pelo qual é solicitado que os passageiros levantem os protetores das janelas é para que as possa possam adaptar a vista à luz do exterior. Isto é assim uma vez que, no caso de emergência, os passageiros devem deixar a aeronave muito rápido, e os segundos necessários para daptar a visão à mudança de iluminação podem ser críticos.

Agora, durante a decolagem e o pouso também é proibido o uso de fones de ouvido. A razão é a mesma: se certificar de que todos os passageiros estão prestando atenção às instruções em caso de emergência.

Dica #4 – Coloque sua bagagem de mão abaixo do assento que está na sua frente 

Muitas pessoas não sabem que o melhor lugar para guardar sua bagagem de mão é debaixo do assento que se encontra na frente deles, em vez do compartimento sob sua cabeça. Quanto mais ajustado está uma bagagem em um compartimento, mais provável é que ele possa se abrir durante uma turbulência e caia na cabeça dos passageiros.

Severe clear air turbulence issue on my SIN-LHR flight (SQ 308). A380 suddenly dropped 50-100ft during breakfast.

A photo posted by Alan Cross (@alan_crossx) on

Os compartimentos superiores são projetados para guardar vestuário, chapéus, mantas, almofadas e bolsas pequenas. Se a sua bagagem não vai caber no compartimento de bagagem, tente outros compartimentos.

Dica #5 – Diga beba álcool quando estiver a bordo

De fato não faz mal relaxar um pouco, mas há uma razão sólida para não beber durante o voo.  O consumo de álcool desidrata o corpo, e o organismo das pessoas enfrenta um grande nível de estresse em ambientes de baixa umidade.  Além disso, a pressão do ar inferior aumenta as possibilidade de intoxicação.

Isso significa que mesmo uma porção modesta de álcool provocaria um efeito de sobredoses. Algumas pessoas simplesmente podem adormecer imediatamente, mas outras podem realizar ações perigosas. Além disso, é muito provável que depois deste estado de embriaguez siga  uma ressaca infernal com dores de cabeça e no corpo.

Então, se você de qualquer jeito decidir beber álcool, tente consumir líquidos não-alcoólicos ao mesmo tempo (exceto bebidas com bolhas, caso contrário o efeito de embriaguez se intensificará).

Há uma coisa que você deve entender sobre aviação: se trata de uma indústria com normas muito estritas e bem organizadas que têm um único objetivo: gerar receita. Os acidentes e traumas a bordo não são algo que impulsione a receita.

Por iso, as companhias aéreas, agências de aeronaves e as entidades reguladoras fazem todo o possível para fazer com que os milhões de voos realizados a cada ano em todo o mundo, sejam absolutamente seguro para os passageiros.

Como dizem os aviadores: as regras da aviação são escritos em sangue. Eles empregam lógica absolutamente infalível, mesmo quando pareçam estranhas ou triviais para um passageiro comum. Assim que simplesmente obedeça as regras e tudo sairá bem.

Tradução: Juliana Costa Santos Dias

 

Dicas