Os 10 melhores filmes sobre hacks

Notícias

Em qualquer filme, sempre há uma parte que para os especialistas de TI parece mais uma comédia, especialmente quando se fala de computadores, vírus e ataques cibercriminais. Normalmente, os diretores mais inteligentes tentam fazer com que esta parte de TI seja muito breve e evitam que a cena se enfoque por muito tempo em uma tela de computador, porque isto poderia distrair o público da história geral. A realidade é que o trabalho de um cibercriminoso não é nada aventureiro e para levá-lo a cabo necessitam-se dias e semanas inteiras, muitíssimo tempo se comparado com a rapidez de um filme. Por isso, o trabalho dos produtores e diretores é enorme – em suas obras eles convertem um trabalho chato em algo divertido; mas, ao mesmo tempo, não entram em muitos detalhes para que os profissionais do setor não critiquem em excesso.

hacks_title_site

 

Hackers [1995]

10hm-hackers

Neste filme, na maioria das vezes não se dá muita informação técnica sobre o que fazem os protagonistas. Só se visualiza como se movem os dedos sem parar no teclado do computador. No entanto, os ataques são críveis e os diálogos entre os cibercriminosos também são realistas: conversam, por exemplo, de livros sobre Unix, de senhas fracas e de outros problemas similares. Tudo isto nos faz entender que o diretor e os roteiristas reuniram muitas informações sobre o tema. Se o trabalho de um cracker é muito chato, eles o transformaram em algo mais divertido para o público.

 

Duro de Matar 4.0 [2007]

10hm-diehard

Neste popular filme de ação, protagonizado por Bruce Willis, há diálogos muito divertidos sobre a segurança na informática e o cibercrime; aliás, são temas explorados exageradamente na trama. Ainda que alguns “truques” poderiam ser aplicados na vida real (como, por exemplo, acessar de forma imprecisa um circuito fechado de televisão ou tomar o controle de um semáforo), é muito difícil que se eles sejam realizados um atrás do outro e com tão pouco tempo hábil. Tudo parece ainda mais complicado se dispõe apenas de uma simples conexão a internet. É certo que houve casos em que, graças a um malware, se conseguiu destruir empresas inteiras, mas não se trata do método mais eficaz e, sobretudo, mais rápido que se pode utilizar em um filme.

De todas as formas, “Duro de Matar 4.0” nos ajuda a refletir sobre algo muito importante: as infraestruturas críticas necessitam de um nível de proteção muito alto contra os ataques informáticos, assim que ao menos podemos agradecer a Bruce Willis por esse alerta.

 

 007: Operação Skyfall [2012]

10hm-skyfall

Desde o ponto de vista dos “freakies” da informática, este filme é conhecido pela cena onde acontece uma explosão controlada através da internet (muito difícil de realizar, naturalmente); apesar disso, esta ação, bastante improvável, nos ensina que o roubo de informação e dados na internet é muito frequente e perigoso. Outra cena divertida tem lugar em uma ilha desconhecida da Ásia onde se esconde o quartel general dos cibercriminosos – os vilões do filme. Na realidade, construir em uma ilha um centro tão moderno e tecnológico não tem nenhum sentido, porque o edifício pode ser encontrado facilmente e pode ser complicadíssimo levar banda larga a um ponto tão distante. Os crackers de verdade, sobretudo da Ásia, têm seu “lugar de trabalho” em grandes cidades, onde há muita energia à disposição e uma potente conexão à internet. Não é necessária a proteção física – a verdadeira proteção é a criptografia.

 

Jogos de guerra [1983]

 10hm-warganes

Trata-se de um filme muito antigo e, ainda assim, muito querido pelos amantes da informática. A história fala de jovens cibercriminosos que conseguem entrar em um poderoso sistema militar e terminam descobrindo que no computador há alguns jogos de simulação de guerra. Logo se darão conta de que não são apenas jogos de simulação e sim, realmente, eles podem lançar mísseis de verdade, começando possivelmente uma Terceira Guerra Mundial. No filme, se ensina alguns truques que muitos hackers utilizavam até então, como o “war dialing”. De todas as formas, a maioria de tudo que se vê em “Jogos de guerra” é completamente falso.

A internet nasceu como uma rede militar, por isso os protocolos originais da internet tinham um nível de proteção muito baixo. Hoje em dia tudo está mudado; por sorte, técnicos informáticos militares seguem de perto a evolução da internet e assim, todos os sistemas militares importantes estão totalmente isolados da Web.

 

 Quebra de Sigilo [1992]

O enredo deste filme foi escrito pelos mesmos roteiristas de “Jogos de guerra” – filme acima. Tudo gira ao redor de uma “caixa preta”, que torna possível decodificar qualquer sistema de criptografia. Naturalmente, os serviços secretos de muitos países buscam ter esse tesouro, mas o papel mais importante em toda a história fica a cargo da NSA, a Agência de Segurança Nacional dos EUA. Na vida real, é impossível construir um dispositivo similar (senão a NSA não se empenharia tanto em adquirir provedores para a criptografia de e-mails). De todas as formas, estes truques de engenharia social funcionam tanto em 1992 quanto hoje, em 2013.

 

O ultimato Bourne [2007]

10hm-bourne

 Não é muito frequente que os roteiristas peçam o assessoramento de especialistas em segurança. No século XXI, é necessário hackear os computadores para roubar documentos secretos. Neste filme, há algumas aplicações que se encontram na vida real e que hackers e administradores de sistema utilizam frequentemente: SSH, bash e NMAP, o programa de rastreio de portas tão amado pelos criadores de Hollywood.

 

 

Matrix Reloaded [2003]

10hm-matrix

 Graças à trilogía de Matrix, a filosofia da realidade simulada aumentou em grande medida e hoje é muito popular; por outra parte, os “geeks” adoram estes filmes pela estética refinada. É normal que em suas histórias se fale muito dos hackers e de operações cibercriminais, mas não se entra em muito detalhes, mais parecem magia estilo Harry Potter do que truques informáticos. Em geral, existe uma maneira de “escapar do isolamento de processos” (que é o que tentam fazer os personagens do filme), e o malware moderno o faz graças aos exploits, como ocorre, por exemplo, em Adobe Reader. Mas, os criadores do filme nem pensaram nestes recursos – agradecemos por mostrar de vez em quando a utilidade real do NMAP.

 

Paranoia 1.0 [2004]

10hm-paranoia10

Neste filme tem de tudo: inteligência artificial, nanorobots, conspiração corporativa e, é claro, hackers. Paranoia 1.0 não vem do mundo de Hollywood, assim não segue a tradição de colocar um NMAP como a última palavra em tecnologia informática; em segundo lugar, tem um verdadeiro tesouro que é um rastreador online de vírus, chamado de Viralator.

 

Tron: uma odisseia eletrônica [1982]

10hm-tron

Quase vinte anos antes de “Matrix” ou “O nível 13”, no filme cult “Tron: uma odisseia eletrônica” já houve um enfrentamento entre os seres humanos e os computadores. Os criadores imaginaram o computador como uma espécie de videogame enorme; por isso, ainda que o roteiro tenha alguns truques informáticos possíveis na vida real, o filme inteiro parece mais uma versão cinematográfica de Pong ou de Invasores do Espaço. Trata-se de uma interpretação bastante ingênua do mundo do cibercrime; de todas as formas, à parte disso (ou graças a isso), o filme é um clássico do gênero de ficção científica.

 

Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres [2009]

10hm-dragon

Muitas pessoas preferem mais a versão cinematográfica sueca da novela de Stieg Larsson, devido a sua atmosfera mais autêntica e seus personagens. Parece ainda mais certo se falamos das cenas que têm haver com hackers e computadores, por exemplo, quando a protagonista do filme utiliza um antigo NMAP para rastrear os computadores das pessoas que a interessavam. Esta parte da história é bastante verossímil, porque um computador pode ser uma ferramenta muito útil para saber os segredos que uma pessoa guarda. Aliás, na maioria das vezes se trata de um método mais fácil, mais seguro e mais econômico do que entrar às escondidas em um apartamento ou vigiar todos os movimentos de alguém. Na realidade, existe um método mais eficaz ainda: roubar o smartphone, que normalmente contém muitos segredos e dados confidenciais.

Como sempre, nós podemos nos proteger de ameaças deste tipo aplicando a todos os nossos dispositivos soluções de segurança adequadas como, por exemplo, Kaspersky Internet Security. Muitas vezes os personagens dos filmes não sabem disso.