Earth 2050: Visões do futuro, hoje

28 jun 2019

Pode ser que já tenha ouvido falar sobre a grande mudança que aconteceu em nossa empresa na semana passada. No entanto, mudanças assim não são novidades para nós! Desde que começamos, há 22 anos, não paramos de mudar, mudar, mudar – e sempre para melhor, naturalmente. Mudar basicamente se tornou nossa profissão! Eis o porquê…

Se não entendêssemos o desenvolvimento da tecnologia, isso dificilmente seria um bom presságio para o nosso futuro – e não estou falando sobre vendas. Neste caso, para início de conversa, talvez ninguém estivesse por aí para comprar nossos produtos.

Brincadeira. 🙂

Tenho certeza de que tudo vai ficar bem. A tecnologia está mudando o mundo para melhor. Claro, novas possibilidades trazem novos riscos, mas sempre foi assim.

Nosso trabalho é reconhecer os riscos, eliminá-los, e evitar que apareçam novamente. Caso contrário, as defesas estarão sempre um passo atrás dos ataques, que é o mesmo que não se defender. Em nossa indústria, é preciso ser capaz de antecipar o que os ciberparasitas pensam e criar armadilhas antecipadamente. Na verdade, esta capacidade foi o que sempre nos diferenciou de nossos concorrentes. Lembra do NotPetya – uma das epidemias globais mais infames dos últimos anos? Nós a detectamos proativamente, sem a necessidade de qualquer aviso.

Gostamos tanto dessa ideia – antecipar o futuro –, que decidimos lançar um projeto nas redes sociais com base nesse conceito: o Earth 2050.

O que é o Earth 2050? É uma plataforma de crowdsourcing (peço desculpas pelo jargão moderno) totalmente aberta para vislumbrar o futuro. Com isso, quero dizer que é um lugar onde qualquer pessoa – seja um ministro ou um gari – pode compartilhar sua visão sobre o que virá, escrevendo, pintando, desenhando ou como quiser. Ou então, se você não estiver particularmente interessado em clarividência, pode curtir e comentar as previsões da galera que está. Há algo para todos.

Então, por que essa abertura é tão importante?

O futuro é difícil de prever. Há grandes chances de que as tentativas de uma única pessoa acabem se mostrando equivocadas – compreensível e natural. Mas previsões sobre o futuro feitas por muitas pessoas – mesmo que apenas parcialmente corretas, e mesmo que tenham algo de incompletas ou contraditórias – resultam em uma precisão muito maior. É um pouco como o princípio do aprendizado de máquina. Quanto mais aprende uma máquina, melhor sua capacidade para realizar algo – neste caso, prever o futuro.

Até agora, cerca de uma centena de visionários publicaram quase 400 previsões no Earth 2050 – e há algumas interessantemente beeeem curiosas, devo dizer.

Há prognósticos do futurologista Ian Pearson, do astrofísico Martin Rees, do investidor Steven Hoffman, do arquiteto e engenheiro Carlo Ratti, do escritor James Kunstler, do blogueiro Isaac Arthur, e muitos outros.

Recentemente, o excelente escritor americano de ficção cientifica David Brin se juntou ao projeto. Ele imagina um futuro impulsionado não pelo petróleo, mas por fosfatos.

O pessoal da Kaspersky publicou muitas das profecias do Earth 2050. E eu? Bem, eu previ um futuro sem vírus por quase 30 anos, então já não se pode dizer que não tenho qualquer experiência em ciberadivinhação. Inclusive, estive envolvido na minha própria premonição.

Porém, o Earth 2050 contém muito mais do que apenas palavras. Adoro quando uma ideia pode ser vista, sentida e saboreada. Bem, ainda não descobrimos como reproduzir sabor no site (dê-nos um tempinho!) – mas todos podem prever o futuro assim como ler sobre o assunto.

Por exemplo, existe a Singapore in 2050 (Singapura em 2050, em português). Quer ver uma visão sobre Singapura um pouco mais adiantada? Há também a Singapore-2040. Não é fã de Singapura? Confira as alternativas. O site possui dezenas de representações gráficas de cidades ao redor do mundo, de Nova York a São Paulo.

Ah, e a propósito, nos próximos meses o Earth 2050 vai ganhar um novo design, melhor, mais claro e mais interessante, mesmo que a versão atual já esteja bem. E não sou o único que pensa assim; jurados de uma dezena de competições internacionais, como a Red Dot, concordam!

Finalmente, um número que especialmente me agrada: 71% dos visitantes do Earth 2050 estão na faixa etária entre os 18 e os 35 anos. E são de diversos lugares: Estados Unidos, Rússia, China, Índia, Grã-Bretanha, Hungria, França, Alemanha, Canadá e outros 200 (!) países, incluindo o Timor Leste e as Ilhas Cook.

Vou apenas repetir que: jovens de todas as partes do mundo! Sem dividi-los entre primeiro e terceiro mundo, sem limites de países, idiomas, classes ou propriedades de bens. Estão apenas olhando para o futuro, interessados nas mudanças em nossas vidas. Pessoas que se importam com o futuro.

E tenho certeza que este é um sinal de que vai dar tudo certo no futuro da humanidade. Sim, eu ainda sou um otimista!