Por que não é uma boa ideia baixar jogos piratas

1 mar 2019

Bruno queria jogar um jogo de computador sem pagar. Nada bobo, ele sabe onde baixar jogos de graça (sem SMS ou registro). A internet está repleta de sites com títulos como “Baixe jogos grátis sem vírus.”

Claro, desenvolvedores de jogos também são espertos, e descobriram diversos métodos para combater a pirataria. Entretanto, para cada desenvolvedor sagaz, há um hacker que dá um jeito de contornar a situação, por meio de um crack, que ao ser compartilhado online permite que outros joguem de graça.

A história de um cara que fez o download de um malware enquanto buscava a cópia pirata de um jogo. Isso está acontecendo com mais frequência e explicamos o porquê

A história de um cara que fez o download de um malware enquanto buscava a cópia pirata de um jogo. Isso está acontecendo com mais frequência e explicamos o porquê

 

Nesse caso, Bruno até conhecia o nome do crack necessário para o jogo que queria jogar, de forma que foi direto com os nomes do jogo e do crack no Google. O serviço de busca não desapontou. Entre os diversos resultados da busca, Bruno não viu nenhum dos sites familiares oferecendo jogos piratas e cracks. Sem problema – ele só queria jogar.

Todos os tipos de sites com fóruns de discussões – Google Groups, Zendesk, Yahoo! Respostas, entre outros – são úteis nesses casos, e o Google tende a mostrá-los acima dos resultados de busca, pois normalmente possuem respostas às perguntas. Afinal, alguém antes de Bruno já deve ter procurado o mesmo crack, e um usuário prestativo forneceu o link de um site com o jogo e o crack.

Bruno agradeceu mentalmente o usuário e foi para o site. Certamente, encontrou o link para baixar o jogo e o crack associado. Fez o download de tudo, instalou o jogo da imagem baixada, e executou o crack como apontado nas instruções.

O crack pareceu funcionar, mas por alguma razão o jogo continuou a demandar ativação. Contrariado, Bruno começou a procurar um novo crack para o jogo. Nesse meio tempo, o ransomware que foi baixado sob o disfarce do crack, criptografou furtivamente os arquivos no risco rígido e se preparou para entregar o pedido de resgate.

Os vírus cada vez mais presentes nos cracks

Não há nada novo sobre dar de cara com malware ao usar produtos piratas. Aqueles que evitavam pagar por softwares antigamente vão se lembrar de quando a proteção era mais fraca, como o antivírus residente se depararia com um Trojan ao tentar executar um crack.

Hackers que criam cracks também tem boletos para pagar, de forma que ganham mais transformando computadores de usuários em bots para banking Trojans. As chances de baixar um jogo gratuito sem vírus sempre foi baixa. Mas recentemente, caíram ainda mais.

De acordo com artigo do Torrentfreak, golpistas lançaram recentemente uma campanha para promover sites com malware.

Acontece da seguinte forma: golpistas distribuem ativamente links aos seus sites maliciosos por meio de sites conhecidos como o Google Groups, Facebook Events Calendar, Zendesk, entre outros. Os links de download teoricamente seriam para cracks ou jogos pirateados, e ainda acompanham instruções de como usá-los.

O link aponta para um site de armazenamento de arquivos, entretanto, um instalador de malware é baixado no lugar do prometido. E o usuário, acostumado a identificação de um Trojan por parte do antivírus ao instalar um jogo, ignora ou desabilita a proteção para concluir o download ou instalar o arquivo em paz.

Os piratas “ruins” ganharam dos “bons” nos jogos do Google

O que ainda é mais curioso, golpistas se passam por empresas de jogos famosas como Valve ou Ubisoft e começam a bombardear o Google com denúncias sob o DMCA (Digital Millennium Copyright Act) contra sites de pirataria (relativamente) respeitáveis que hospedavam jogos – aqueles que não distribuem malware.

Além disso, as denúncias comuns não se tratam de violação de direitos autorais; estendem-se ao fato dos sites passarem pela proteção DRM. O DMCA dedica um parágrafo separado para essas denúncias, e ao contrário das comuns, os sites acusados não podem contestar a decisão.

Seguindo as regras, o Google remove o site pirata “bom” de seus resultados, e deixa espaço para os “ruins” distribuírem malware sob o disfarce de jogos crackeados em posição orgânica mais elevada na lista de resultados. Isso significa que quem busca esses conteúdos tem mais chance de baixar vírus como resultado.

Como não infectar seu dispositivo?

Um conselho acima de qualquer outro:

  • Não use softwares piratas. Compre jogos e softwares apenas em lojas oficiais. Se você realmente quiser economizar, espere a próxima promoção – descontos chegam a 90%.

Mas algo me diz que os Brunos do mundo não seguirão esse conselho, então vamos deixar algumas dicas para aqueles não conseguem desistir das buscas piratas:

  • Evite sites suspeitos. Um site de torrents famoso com diversos moderadores tem menos chances de oferecer infecções do que um recurso menos famoso com apenas seis meses desde sua criação.
  • Instale uma solução antivírus e nunca (nunca mesmo) a desligue. Elas não gritam “malware” sem motivo – nenhum recurso pirata, nem um dos “bons”, pode oferecer garantia de 100% que o jogo virá livre de vírus.

Você não precisa quebrar seu cofrinho para ter proteção antivírus de qualidade – oferecemos uma excelente de graça: Kaspersky Free. E faça o que fizer, não seja um desses gênios que baixam softwares de antivírus piratas e recebem um Trojan no lugar – a ironia é clara.