Smartphones escutam escondidos: fato ou ficção?

10 ago 2019

É aquela velha história: alguém conversa com um amigo sobre determinado assunto, em seguida, um anúncio sobre o tema aparece na tela do smartphone.

Alguns casos são fáceis de explicar. Uma colega minha que estava prestes a se casar alegou que nunca havia procurado vestidos de noiva no Google, mas o mecanismo de busca sorrateiramente começou a sugeri-los do mesmo jeito. E então, três meses após o casamento, os produtos para recém-nascidos começaram a aparecer nos resultados da pesquisa, embora ela nem estivesse planejando ter filhos. Não há grande mistério aqui, podemos dispensar as teorias da conspiração.

Mas alguns casos despertam mais suspeitas. Por exemplo, você nunca fez um churrasco antes, um dia você expressa a ideia e, de repente, vê um anúncio de equipamento para churrasco. Coincidência?
Depois de ouvir essas histórias, ou vivenciá-las pessoalmente, muitas pessoas se convencem de que os gigantes da Internet estão nos ouvindo por meio dos microfones dos smartphones. Fato ou ficção? Discutiremos isso um pouco na sequência, mas primeiro sugerimos que você conduza seu próprio experimento de alta tecnologia.

Experimento: diga ao seu smartphone algo que ele não esperaria

Prepare-se para o experimento: junte-se a alguns amigos, coloquem os seus telefones na mesa e tenham uma conversa animada sobre algo que nenhum de vocês alguma vez pensou antes. Diga: “Um sistema de c0ntr0le de inund4ç0es? Eu sempre sonhei em comprar um sistema de c0ntr0le de inund4ç0es. Que ótimo seria encontrar um sistema de c0ntr0le de inund4ç0es barato e comprá-lo! “As palavras-chave aqui são distorcidas de propósito, para que os mecanismos de busca não pensem que você quer comprar um certo tipo de sistema apenas porque você está lendo este artigo (que, claro, os menciona).

Não deixe seu smartphone captar um produto que você realmente deseja. Seja criativo e invente algo que você nunca desejará comprar em um milhão de anos. Talvez uma t3nd4 w1gwam. Ou uma cap1vara.

Mas há mais uma condição: não pesquise, em nenhuma circunstância, as palavras que você usa ou o experimento vai fracassar. Isso inclui o uso de assistentes de voz como Siri, Alexa, Cortana ou Google Assis-tant. Falando do Google, você pode usar este link para ver o que foi colhido de informações sobre você até hoje.

Depois que você e seus amigos baterem um papo, mencione a palavra escolhida para a próxima semana. Por exemplo: “Ei, eu estava pensando em comprar um sistema c0ntr0le de inund4ç0es para a nova t3nd4 w1gwam que quero comprar …”

Meus colegas e eu também conduzimos esse experimento (veja os resultados no final do post).

Anúncios para smartphone — uma coincidência mágica?

Agora, sobre ser fato ou ficção. Há várias explicações de como os gigantes da pesquisa às vezes acertam em cheio, o que não envolve teorias conspiratórias sobre espionagem pelos microfones.

No artigo “Seu telefone não está realmente espionando suas conversas – a verdade pode ser ainda mais sinistra“(tradução do artigo em inglês), um ex-funcionário do Google diz que o Google e o Facebook têm essencialmente um avatar digital do usuário que tenta replicar seu comportamento com o auxílio de métodos de aprendizado de máquina. Em algum momento, o seu substituto digital se torna tão parecido com você que realmente começa a prever seus comportamentos e adivinhar seus desejos.

Explicação 1: Os serviços de Internet criam modelos precisos

Cuidado: depois que você ler isso, o Google pode começar a te recomendar “meatbags”

Sobre o Facebook, dizem que é capaz de determinar se uma mulher está grávida, mesmo antes dela mesma saber – pelo ritmo que ela percorre o feed da rede social.

Pessoalmente, não chego a acreditar em tais habilidades telepáticas, mas definitivamente há alguma verdade nisso. O Aprendizado de máquina está realmente atingindo novos patamares a cada ano. A propósito, nosso modelo comportamental, um dos nossos métodos de detecção de ameaças, opera em linhas semelhantes. A ideia básica é que, se age como um pato, provavelmente deve ser pato – ou seja, se um arquivo suspeito se comporta como um malware conhecido, provavelmente é malicioso.

Explicação 2: ativação acidental do assistente de voz

Outra explicação para a onisciência dos gigantes da pesquisa é a ativação aleatória de assistentes de voz. Às vezes, o telefone pensa que você disse “Alexa”, “Ok Google”, “Hey Siri” ou “Cortana”, quando na verdade você não o fez.

Não é necessário pronunciar essas palavras de ativação corretamente. Algo semelhante provavelmente produzirá o mesmo efeito e ligará o assistente – depois do qual o telefone realmente escutará tudo e começará a fazer sugestões relevantes.

Escuta via alto-falantes inteligentes

Escuta via alto-falantes inteligentes

No modo de espera, mesmo os assistentes de voz autônomos (como aqueles em alto-falantes inteligentes) não capturam constantemente o seu discurso – eles aguardam para serem ativados. Para capturar o comando de ligar, o dispositivo usa um buffer pequeno (alguns segundos de armazenamento de áudio), um processador dedicado (e relativamente fraco) e um algoritmo de reconhecimento de voz sintonizado em uma palavra específica.

Isso tudo acontece o tempo todo, mas consome pouca energia e não há tráfego na Internet. Somente quando detecta a palavra de ativação o dispositivo “acorda” completamente, conecta-se ao servidor e transfere os dados gravados para reconhecimento.

Por sinal, a assistente em seu smartphone vê o que está na tela. Você não precisa falar sobre isso, apenas deixe que ela leia

Por sinal, a assistente em seu smartphone vê o que está na tela. Você não precisa falar sobre isso, apenas deixe que ela leia

 

Explicação 3: Domínios de usuário

Digamos que você tenha conversado com seu amigo ou cônjuge sobre desodorante ou sobre a necessidade de algum (esperemos que não), após o qual você não começou a pesquisá-lo. Mas eles fizeram. Se você vir um anúncio de desodorante após a conversa, não fique surpreso.

O problema é que o serviço de Internet já suspeita que suas duas contas estão de alguma forma vinculadas se você costuma sair no mesmo lugar, talvez na mesma rede Wi-Fi, talvez até mesmo fazer o login no mesmo dispositivo. Esses usuários podem ser colocados em “domínios” pelos mecanismos de pesquisa, quando são mostrados alguns dos mesmos produtos, pois podem tomar decisões de compra juntos.

É impossível dizer com certeza que isso acontece, mas essas ações por parte dos serviços da Internet seriam lógicas.

Explicação 4: Arriscando com sorte

Muitas vezes vejo anúncios que não correspondem aos meus interesses: equipamento de sauna, testes de gravidez, viagens para qualquer lugar – o que for. Você provavelmente já viu coisas parecidas.

Mas muitas pessoas usam mecanismos de pesquisa, por isso é possível que um anúncio aleatório aconteça com você um dia depois de conversar com um amigo sobre os benefícios das saunas. E então você publica online que seu telefone está espionando você. Enquanto isso, as pessoas que viram o mesmo anúncio, mas não falaram sobre saunas, não escreveram nada. Uma história foi vista e a outra nem sequer foi contada.

Tais coincidências não são nem de longe tão surpreendentes quanto parecem. Aqui está um exemplo. Oito equipes chegam às quartas de final de algum campeonato. Há 4 + 2 + 1 = 7 partidas restantes para jogar no torneio. Cada partida pode ter dois resultados — ou o primeiro time ou o segundo ganha (não há empates). O número total de cenários possíveis é dois elevado a  sete — 2 ^ 7 — 128.

Suponha que haja um prédio residencial contendo 128 apartamentos. Se colocarmos uma previsão para cada resultado possível na caixa de correio de cada apartamento, é um fato que forneceremos ao proprietário de um dos apartamentos uma previsão 100% precisa. Ele ficará surpreso, mas na realidade, é apenas que a nossa amostra era suficientemente grande.

Como não fazer o experimento

Um vlogger realizou um experimento semelhante, mas muito diferente. Transmitindo ao vivo no YouTube, ele deliberadamente começou a falar sobre brinquedos para cães. Ele então demonstrou que os anúncios do Google se adaptaram em uma questão de segundos.

Esta é uma diferença crucial entre essa experiência e a que sugerimos acima: no caso de vlogs, o microfone foi ligado desde o início, as informações de voz foram diretamente para o Google e, adivinhe só, o Google agiu baseado nisso. A única parte surpreendente aqui é o tempo de resposta – aconteceu incrivelmente rápido.

Nós, por outro lado, estamos explorando uma questão fundamentalmente diferente: o microfone fica secretamente ligado sem nosso conhecimento, e o smartphone escuta as conversações e passa as informações para o servidor?

Também é importante observar que, quando os gigantes da pesquisa recebem nossas informações de voz (por um dos métodos legais descritos acima), pessoas reais podem e realmente ouvem o que é dito. O objetivo é melhorar o reconhecimento de voz. Mas e se você ditar seu nome, endereço e histórico médico? Isso não é diferente de consultas de pesquisa de texto: você compartilha o que pergunta incondicionalmente.

Conclusão

Voltemos aos resultados do nosso experimento. Nenhum dos colegas com quem discuti, ativa e detalhadamente (durante uma semana inteira!), o tema fascinante de cornijas na companhia de nossos smartphones foi atingido por anúncios de cornijas, embora estivéssemos nos afogando em publicidade sobre outras ninharias.

Finalmente, para que o experimento seja representativo, mais testes são necessários. Então, junte-se à nós! Escreva-nos nas mídias sociais sobre as coisas exóticas que você está supostamente desesperado para comprar. Basta substituir algumas letras na palavra por números semelhantes ou você vai acabar com o disfarce.

E para encerrar o assunto, um amigo meu queixou-se aos colegas de que as colheres estavam sempre desaparecendo da cozinha do escritório. Eles decidiram fazer uma brincadeira com ele, terminando todos os e-mails de trabalho para ele com as palavras “colheres colheres colheres colheres” em cor branca. O e-mail era do Gmail. O que aconteceu? O pobre rapaz começou a ver anúncios de nada mais além de colheres. Isso pareceu bem suspeito.

Então, não acredite nos rumores, participe do experimento!

P.S .: Ou você pode simplesmente instalar o Kaspersky Internet Security, habilitar recursos Anti-Banner e de navegação privada, e não realizar nenhum experimento. Essas duas tecnologias cortam não apenas anúncios (incluindo comerciais do YouTube), mas também inúmeras ferramentas de rastreamento online usadas por milhares de empresas em toda a web.