Número de vítimas de ladrões de senhas cresce 60%

Foram identificados altos níveis de atividade desses ladrões na Europa e na Ásia, mas malware também atingiu usuários na Rússia, Índia, Brasil, Alemanha e EUA.

O uso de malware para coletar as senhas dos internautas cresceu significativamente em 2019. De acordo com os dados da Kaspersky, o número de usuários que sofreram ataques envolvendo roubo de senhas atingiu um pico de 940 mil pessoas – aumento de 60% em comparação com o primeiro semestre de 2018, quando este número ficou abaixo de 600 mil.

O roubo de senhas (Password Stealing Ware – PSW) é uma arma importante no kit dos cibercriminosos para sabotar a privacidade dos internautas. Este tipo malware obtém dados diretamente dos navegadores das vítimas e utiliza vários métodos. Muitas vezes, essa informação é sensível e inclui detalhes de acesso para serviços online, bem como informações financeiras – senhas salvas, dados pessoais para preenchimento automático e detalhes de cartões de pagamento salvos.

Além disso, algumas famílias deste malware são projetadas ainda para roubar cookies de navegador, arquivos de um local específico (por exemplo, o desktop). Além de dados de apps, como serviços de mensagens.

Nos últimos seis meses, a Kaspersky detectou altos níveis de atividade desses ladrões na Europa e na Ásia. Mas, frequentemente, o malware atingiu usuários na Rússia, Índia, Brasil, Alemanha e EUA.

Um dos trojans Stealer mais difundidos é o Azorult multifuncional, detectado em mais de 25% dos computadores em que a Kaspersky identificou um malware do tipo Trojan-PSW.

“Os internautas modernos estão cada vez mais ativos e contam com a internet para realizar tarefas rotineiras. Isso torna seus perfis digitais mais lucrativos para o criminoso, pois estão recheados de informações pessoais que serão monetizadas de várias maneiras. Ao armazenar com segurança suas credenciais, os consumidores podem usar os serviços online com a confiança de que suas informações não serão colocadas em risco. Para adicionar uma proteção maior, é possível usar uma solução de segurança para cuidar das senhas”, observa Alexander Eremin, pesquisador de segurança da Kaspersky.

Para garantir a segurança das senhas e credenciais digitais, já que infelizmente 44% dos brasileiros as compartilham, a Kaspersky recomenda:

  • Tenha em mente que suas credenciais e senhas são tão pessoais quanto seus segredos. Sendo assim, não as compartilhe em hipótese alguma.
  • Instale sempre as atualizações e correções dos programas instalados em seu dispositivo, pois isso é importante para fechar possíveis brechas de segurança que são usadas pelos cibercriminosos para infectar o dispositivo com malware.
  • Se você ainda não conta com uma proteção, avalie as opções de gerenciadores de senhas disponíveis e escolha uma solução confiável como o Kaspersky Password Manager, que além de proteger as credenciais, ainda armazena com segurança documentos como passaportes, carteiras de motorista e cartões bancários.

Saiba mais sobre como os cibercriminosos usam malware para roubar senhas e outras informações confidenciais em Securelist.com.

Dicas