As mentiras nos sites de relacionamento

Privacidade

A Kaspersky Lab e a B2B International realizaram uma pesquisa que visou mapear os padrões de comportamento dos usuários de sites de namoro e os desafios enfrentados. Descobrimos que tipo de informação as pessoas estão preparadas para compartilhar com estranhos e por quê (e sobre o quê?) muitos mentem.

Quem mente?

De forma muito direta, a maioria das pessoas. Dos entrevistados, 57% admite “maquiar” a realidade em sites de namoro. Os homens casados ​​são mais propensos a mentir: 67% diz mentir ao preencher seus perfis ou nas trocas de mensagem.

Usuários casados ​​mentem principalmente para esconder o estado civil. Além disso, homens e mulheres tendem a mentir com mais frequência sobre a aparência física. E, em geral, as pessoas mentem sobre idade, status social e gostos.

As mentiras podem não surpreender. Uma descoberta que achamos particularmente interessante, porém, é que os mentirosos ficam mais magoados com as mentiras que lhes contam do que as pessoas honestas. Parece que os desonestos entendem melhor o quanto a verdade pode mudar o perfil online de alguém.

Por que mentir?

Acontece que muitos usuários (16%) se apresentam de maneira desonesta na esperança de parecerem melhores para os parceiros potenciais. Os dados divulgados pelo OkCupid indicam que os homens classificados como mais atraentes pelas mulheres – altos, com porte e bom trabalho – receberam 11 vezes mais mensagens que os homens de baixa “qualificação”. O mesmo acontece com as mulheres. As mais “adequadas” a certos padrões de beleza – magras e jovens –  recebem cinco vezes mais mensagens que as “comuns” e 28 vezes mais do que as não consideradas atraentes.

Se considerarmos que a probabilidade de um encontro aumenta com mais mensagens recebidas, não é de admirar que homens e mulheres “embelezem” suas fotos e perfis.

No entanto, não é apenas o desejo de encontrar um novo parceiro rapidamente que incentiva as pessoas a mentir. Mais de 35% dos homens que participaram da pesquisa afirmam fazer isso “apenas por diversão” (31% das mulheres também concordam). Mas o motivo mais comum pelos quais as mulheres mentem é medo. Cerca de 35% falsifica intencionalmente informações sobre si por temer que a informação real seja usada contra elas por pessoas mal-intencionadas. Essa preocupação não é infundada: 55% dos visitantes dos sites de encontros encontraram algum tipo de problema relacionado à utilização dos serviços, desde conversas desagradáveis ​​até ameaças virtuais reais.

Há outras razões para mentir. Muitos usuários de plataformas de encontro não as consideram tão respeitáveis ​​e, portanto, não querem que seus amigos ou familiares vejam seus perfis. De acordo com nossa pesquisa, 5% dos visitantes escondem suas atividades de seus parceiros e outros 3% tentam descobrir se seus parceiros ou cônjuges estão usando esse tipo de serviço.

Como lidar com isso?

Não há nenhuma solução rápida, infelizmente. Apesar da preponderância de informações falsas em perfis, os sites de namoro continuam extremamente populares: 32% dos internautas os usam. Consequentemente, correm mais riscos de ataques cibernéticos do que outros: a proporção é de 41% para os que utilizam, contra 20%. Uma explicação fácil seria que essas pessoas tendem a usar a Internet mais, o que aumenta as oportunidades para um cibercriminoso. No entanto, o volume de informações falsas é um perigo por si só.

Você pode se considerar com sorte se alguém mentir sobre o trabalho ou idade, melhor do que a alternativa de alguém que ganhou sua confiança por meio de engenharia social e utilizar essa informação para spear phishing.  Então, fique ligado ao falar com estranhos que deram “match” – agora você sabe que a maioria não é quem parece ser.