Chegou 2018: hora de avaliar o sua ciberrisco

Business

O que lhe vem a mente quando você ouve a seguinte frase: “O futuro já está aqui”? Ela evoca pensamentos acerca de novas tecnologias que supostamente tornariam a vida mais fácil – jamais, uma ciberameaça nova. Entretanto, as chamadas, ameaças de nova geração já estão aqui. No dia 20 de fevereiro, na plataforma do European Summit on Information Security (TEISS 2018), apresentaremos o que são essas ameaças e como lidar com elas.

Nossos especialistas acreditam que 2018 testemunhará a adoção de métodos cada vez mais originais por cibercriminosos. No lugar de ataques diretos, navegarão por meio dos sistemas de informações de terceirizados e parceiros, promovendo condução de ciberespionagem por meio de dispositivos móveis, focados em ataques a UEFI e BIOS, invadindo routers e modems.

Um ciberincidente sério pode afetar praticamente qualquer empresa, de modo que você precisa saber não apenas como evita-los, mas também como agir diante desse cenário. Afinal, o potencial de perdas depende diretamente do tempo de resposta e performance das tecnologias de detecção implementadas. Promovemos um estudo de risco de segurança de TI que concluiu que, para grandes empresas, a média de recuperação de custos de um incidente – caso detectado prontamente – é da ordem de 456 mil dólares. Se demorar mais de uma semana, entretanto, esse custo atinge a marca de 1,2 milhões de dólares. Dessa forma, quanto mais rápido você identifica e responde a um incidente, menos ele lhe custará.

Se você não for capaz de ir ao evento presencialmente, ainda é possível participar por meio da transmissão online e mandar suas perguntas. Registre-se para o webcast abaixo.


 

Como minimizar o tempo e com ele as perdas? Quais ameaças merecem atenção em 2018 e como elas podem afetar seu negócio? Quais medidas os especialistas de cibersegurança precisam tomar para serem capazes de lidar com ameaças complexas? Como garantir acesso a informação completo sobre o que ocorre na rede o tempo inteiro, mesmo se um computador atacado acabe encriptado ou com dados destruídos? Como distinguir uma tela azul esporádica do começo de um ataque de larga escala? Como construir uma cultura de cibersegurança ágil? Essas e outras perguntas serão respondidas por nossos especialistas na TEISS 2018 em Londres durante a sessão Fighting Complex Threats. O evento começa às 1:35 GMT e será concluído com um painel de discussão acerca do que constitui um nível aceitável de risco diante de uma ameaça da nova geração. Entre os participantes, teremos o executivo sênior de TI e segurança bem como Gerente Geral da Kaspersky Lab do Reino Unido e da Irlanda, Adam Maskatiya.