Os vírus de macro adicionam seu código às macros associadas a documentos, planilhas e outros arquivos de dados. O primeiro vírus de macro, chamado Concept, apareceu em julho de 1995, e os vírus de macro (que, em sua maioria, infectavam documentos do Word) se tornaram o tipo dominante de vírus até a virada do século, quando a Microsoft desabilitou as macros por padrão no Office (versões a partir do Office 2000). Desde então, os criminosos virtuais precisam induzir suas vítimas a habilitar as macros para que a macro infectada seja executada.

Como os vírus de macro se propagam

Os vírus de macro são comumente encontrados incorporados em documentos ou inseridos como código malicioso em programas de processamento de texto. Eles podem vir de documentos anexados a e-mails, ou o código pode ser baixado quando se clica em links de "phishing" em banners ou URLs. Eles são difíceis de ser detectados, uma vez que não funcionam até que a macro infectada seja executada. Quando isso acontece, eles executam uma série de comandos. O vírus de macro é semelhante ao cavalo de Troia, pois pode parecer benigno, e os usuários podem não notar seus efeitos nocivos imediatamente. No entanto, de maneira diferente dos cavalos de Troia, os vírus de macro podem se replicar e infectar outros computadores.

Riscos

O principal risco do vírus de macro é sua capacidade de se espalhar rapidamente. Quando uma macro infectada é executada, todos os outros documentos do computador do usuário são infectados. Alguns desses vírus causam anomalias em documentos de texto, como palavras faltando ou inseridas, enquanto outros acessam contas de e-mail e enviam cópias de arquivos infectados para todos os contatos do usuário que, por sua vez, abrem e acessam esses arquivos porque vêm de uma fonte confiável.

Esses vírus também podem ser projetados para apagar ou comprometer dados armazenados. Além disso, é importante observar que o vírus de macro é multiplataforma: pode infectar computadores Windows e Mac usando o mesmo código. Qualquer programa que utiliza macros pode funcionar como host, e qualquer cópia de um programa infectado, enviada por e-mail, armazenada em disco ou em uma unidade USB, conterá o vírus.

Para remover esses vírus, os usuários devem confiar em um software de segurança que ofereça ferramentas específicas de detecção e remoção de vírus de macro. Verificações regulares irão limpam todos os documentos infectados e garantem que nenhum vírus de computador novo seja baixado.

Tipos de vírus de macro

Os vírus de macro podem assumir diferentes formas. Embora algumas pessoas os considerem uma relíquia do final dos anos 90, recentemente eles reapareceram, exigindo extremo cuidado dos usuários.

  • O vírus Concept
    O Concept foi o primeiro vírus de macro. Surgiu em julho de 1995 e tinha como alvo o Microsoft Word. A partir daí, os vírus de macro se tornaram o tipo dominante.
  • O vírus Melissa
    O Melissa ficou consagrado como o primeiro vírus de macro com características de worm de e-mail e começou a se propagar via e-mail em 26 de março de 1999, infectando dezenas de milhares de máquinas em questão de horas. Foi uma das epidemias mais sérias na história da Internet.

Outros artigos e links relacionados a definições