content/pt-br/images/repository/isc/2017-images/internet-safety-tips-img-23.jpg

Um jovem de 19 anos que concorria a um cargo público em New Hampshire descobriu a importância das regras de segurança na Internet da pior maneira possível. Conforme noticiado pelo Seacoast Online , seus concorrentes encontraram imagens que sugeriam conteúdo sexual em suas postagens nas redes sociais e também indicavam um passado de uso de drogas. De uma hora para outra, do nada, sua carreira política foi por água abaixo antes mesmo de decolar. Infelizmente, ele não é o único, pois hábitos descuidados na Internet já expuseram muitas outras pessoas a golpes, roubo de identidades e danos físicos por parte de pessoas que conheceram on-line. Como cada vez mais usuários acessam a Internet em dispositivos móveis, esses riscos mudam e crescem com muita rapidez.

Embora os aplicativos pareçam ter uma importância maior do que os sites tradicionais nas interações diárias, isso não significa que as regras básicas de segurança na Internet tenham mudado. Os hackers continuam em busca de informações pessoais que possam ser usadas para acessar contas bancárias e cartões de crédito.

Tweet: Os hackers continuam em busca de informações pessoais que possam ser usadas para acessar contas bancárias e cartões de crédito. Publique isso no Twitter!

O hábito de navegar sem segurança também pode levar a outras ameaças: desde comentários pessoais constrangedores ou imagens que, uma vez publicadas, são praticamente impossíveis de se apagar, até ser confundido com pessoas com quem você não tem nada a ver.

Aqui estão as dez principais dicas de segurança na Internet que você deve seguir se quiser evitar problemas on-line (e off-line).

1. Limite as informações pessoais e profissionais disponíveis publicamente

Possíveis empregadores ou clientes não precisam saber seu status de relacionamento pessoal, nem seu endereço residencial. Eles precisam de informações sobre seus conhecimentos e sua experiência profissional, e também como entrar em contato com você. Você não entregaria informações pessoais a estranhos, então não as disponibilize para milhões de pessoas on-line.

2. Mantenha suas configurações de privacidade ativadas

Os anunciantes adoram saber tudo sobre você, assim como os hackers. Ambos podem descobrir muito observando seus hábitos de navegação e seu uso de mídias sociais. Mas você pode assumir o controle de suas informações. Conforme observado pela Lifehacker, tanto os navegadores da Web como os sistemas operacionais de dispositivos móveis disponibilizam configurações para proteger sua privacidade on-line. Os sites maiores, como o Facebook, também contam com configurações para reforçar a privacidade. Às vezes, essas configurações são (deliberadamente) difíceis de encontrar porque as empresas querem suas informações pessoais para fins comerciais. Ative essas opções de proteção de privacidade e mantenha-as assim.

3. Pratique a navegação segura

Você não andaria sozinho por bairros perigosos, então não faça isso on-line. Os criminosos virtuais usam conteúdos chocantes como isca. Eles sabem que, às vezes, as pessoas sentem-se atraídas por conteúdos duvidosos e acabam baixando a guarda quando procuram por esse tipo de informação. O submundo da Internet é cheio de armadilhas difíceis de ver, em que um clique descuidado pode expor dados pessoais ou infectar seu dispositivo com malware. Resista à tentação e não dê essa chance aos hackers.

4. Verifique se a sua conexão com a Internet é segura

Quando você está on-line em um local público, usando uma conexão Wi-Fi pública, por exemplo, a PCMag afirma que você não tem nenhum controle direto sobre sua segurança. Especialistas em cibersegurança corporativa se preocupam com os endpoints, locais em que uma rede privada se conecta com o mundo externo. Seu endpoint vulnerável é sua conexão com a Internet. Verifique se o dispositivo está seguro e, se houver dúvidas, espere um momento melhor (ou seja, até conseguir se conectar a uma rede Wi-Fi segura) antes de fornecer informações, como o número de sua conta bancária.

5. Cuidado com aquilo que você baixa

Um dos principais objetivos dos criminosos virtuais é induzi-lo a baixar malware, programas ou aplicativos que contêm malware ou tentam roubar informações. O malware podem estar disfarçado de aplicativo: desde um jogo popular até um programa que verifica o trânsito ou a previsão do tempo. Conforme a PCWorld alerta, não baixe aplicativos que parecem suspeitos ou são provenientes de um site em que você não confia.

6. Escolha senhas fortes

As senhas são um dos maiores pontos fracos em toda a estrutura de segurança da Internet, mas, por enquanto, não temos outra alternativa. O problema com as senhas é que as pessoas tendem a escolher senhas fáceis de memorizar (como "senha" e "123456"), que são fáceis também para os criminosos adivinharem. Selecione senhas fortes, que sejam mais difíceis de descobrir. Um software gerenciador de senhas pode ajudar a gerenciar diversas senhas para que você não precise lembrá-las. Uma senha forte é exclusiva e complexa, tem pelo menos 15 caracteres, combinando letras, números e caracteres especiais.

7. Faça compras on-line somente em sites seguros

Sempre que você faz uma compra on-line, precisa fornecer informações de cartão de crédito ou da conta bancária, exatamente o que os criminosos virtuais mais querem pegar. Só forneça essas informações para sites que oferecem conexões seguras e criptografadas. Conforme observa a Boston University, para identificar sites seguros, confira se o endereço começa com https: (o S significa seguro), em vez de http: Eles também podem ser diferenciados pelo ícone de cadeado que aparece ao lado da barra de endereço.

8. Cuidado com aquilo que você publica

A Internet não tem uma tecla "Delete", como descobriu aquele candidato de New Hampshire. Qualquer comentário ou imagem que você posta na Internet pode ficar on-line para sempre, pois a remoção do original (digamos, do Twitter) não exclui as cópias que outras pessoas possam ter feito. Não há como "voltar atrás" em um comentário que você desejaria não ter feito, nem se livrar daquela selfie constrangedora que você tirou em uma festa. Não publique on-line nada que você não queira que sua mãe ou um possível empregador vejam.

9. Cuidado com quem você conhece on-line

As pessoas que você conhece on-line nem sempre são quem dizem ser. Na verdade, elas podem nem existir. Segundo a InfoWorld, perfis falsos nas mídias sociais são uma forma conhecida como os hackers envolvem usuários desavisados e enfiam a mão em seus bolsos virtuais. Tenha na vida social on-line o mesmo cuidado e sensatez que você tem em sua vida social presencial.

10. Sempre mantenha seu programa antivírus atualizado

Um software de segurança de Internet não protege você contra todas as ameaças, mas consegue detectar e remover grande parte dos programas de malware, desde que você o mantenha atualizado. Baixe sempre as atualizações do sistema operacional e dos aplicativos que você usa. Elas proporcionam uma camada de segurança essencial.

Lembre-se dessas dez regras básicas de segurança na Internet para evitar muitas das surpresas desagradáveis que esperam pelos usuários mais desavisados on-line.

As dez principais regras de segurança na Internet e o que você não fazer quando estiver on-line

Temos um detalhe dos 10 melhores padrões de segurança da Internet a seguir para ajudar a evitar entrar em problemas. Clique aqui!
Kaspersky Logo