Estamos passando por um período de abundância de ameaças, ataques e crimes virtuais. Do roubo de identidades a invasões de lojas, esses ataques estão dominando as notícias. Em média, as vítimas de fraude gastam US$ 776 do próprio bolso e perdem 20 horas tentando consertar a bagunça causada pelos ladrões de identidades. Veja aqui as sete ameaças existentes que demonstram os desafios atuais para proteger seus dados.

Violações de dados de lojas

As invasões de lojas são um perigo importante, pois podem afetar praticamente qualquer pessoa. Em 2014, houve um aumento dos ataques virtuais contra grandes empresas, como a Target, em que hackers roubaram 40 milhões de números de cartões de débito e crédito.

Os criminosos virtuais roubam e vendem essas informações pessoais no mercado negro, um caminho fácil para o roubo de identidades. Embora grande parte da responsabilidade seja da loja, que deve, por exemplo, manter métodos de pagamento seguros e atualizados, sua atenção aos extratos bancários e de cartões de crédito é uma boa maneira de estar seguro durante os ataques às lojas.

Segurança de dispositivos móveis e ameaças às vulnerabilidades de smartphones

Os criminosos virtuais conseguem explorar com facilidade as vulnerabilidades de seu dispositivo móvel para conseguir dados particulares. Essas vulnerabilidades muitas vezes vêm dos aplicativos que você usa ou do próprio smartphone. Os dispositivos móveis também são vulneráveis a malware, que pode registrar pressionamentos de teclas e capturar telas. Para se proteger, pesquise sobre os aplicativos que você baixa e tenha cuidado com os e-mails que você abre e as fotos que envia por upload.

Ataques de phishing e engenharia social

Quando os criminosos virtuais induzem alguém a revelar informações sigilosas, como senhas e números de identidade, essa prática recebe o nome de phishing. Uma das formas mais comuns de phishing acontece quando uma pessoa recebe um e-mail, aparentemente de um banco ou órgão governamental, e é direcionada a sites que parecem autênticos. Depois de entrar no site, o usuário é induzido a inserir sua senha, números de identidade e dados financeiros.

Os criminosos virtuais captam essas informações e as usam para fins próprios. O phishing faz parte de um problema mais amplo, chamado de engenharia social, que, basicamente, é a manipulação de emoções para obter acesso a dados sigilosos. Não caia nessas armadilhas. Desconfie de todos os e-mails que receber, principalmente aqueles que solicitam a reinserção de informações privadas. Lembre-se: bancos reais e órgãos governamentais nunca pedem que você confirme informações possivelmente confidenciais.

Roubo de identidades

Um dos crimes on-line de crescimento mais rápido é o roubo de identidades. Muitos pontos abordados anteriormente neste artigo podem levar ao roubo de identidades, e-mails de phishing e violação de dados. No entanto, sua identidade também está em risco por conta de documentos usados diariamente, como currículos, endereço residencial, fotos e vídeos em mídias sociais, dados financeiros, entre outros.

Os ladrões de identidades roubam suas informações pessoais e abrem contas de empréstimo e cartão de crédito em seu nome. Embora parte dessas atividades esteja fora de controle para uma pessoa comum, há muito o que fazer para proteger sua identidade.

Violações de dados da área da saúde

No início de 2015, a Anthem sofreu uma enorme violação de dados por hackers que acabou afetando 78,8 milhões de pessoas. Em julho de 2015, os hackers invadiram a rede de computadores do Sistema de saúde da UCLA, possivelmente acessando informações pessoais de 4,5 milhões de pacientes. Os registros da área de saúde contêm informações sigilosas e importantes, e são alvos principais dos criminosos virtuais, que podem facilmente levar ao roubo de identidades. Muitas vezes, essas informações são usadas para fraudes de seguro saúde, como na compra e venda de prescrições fraudulentas. Fique sempre atento às notícias sobre denúncias de violações dos dados do setor de saúde.

As crianças na mira de predadores sexuais

Usuários que exploram crianças se escondem nos becos escuros da Internet para comercializar fotos ilícitas e obscenas de crianças. Isso é feito por e-mail, programas 2P2 ou, cada vez mais, no mercado negro na Web, uma área da Internet que não é acessada por mecanismos de pesquisa comuns. Embora sejam tendências estarrecedoras, o melhor a fazer é deixar esses sites nas mãos das autoridades legais. As pessoas comuns devem evitá-los.

Outro perigo on-line que tem crianças como alvo são os predadores sexuais que tentam induzi-las a encontrar com eles fora do âmbito virtual ou que pedem que elas enviem fotos pornográficas. Converse sempre com seus filhos sobre o perigo de falar com estranhos on-line e os oriente a nunca compartilhar informações pessoais com pessoas que não conhecem.

Ataques a bancos

No século XXI, o roubo a bancos passou a ser digital. Um exemplo conhecido foi o roubo de quase um bilhão de dólares, em cerca de dois anos, de diversas instituições financeiras do mundo todo. Os criminosos virtuais enviaram e-mails para funcionários e gerentes dos bancos com um malware chamado "Carbanak".

Depois de conseguir infectar os computadores-alvo, os criminosos virtuais conseguiram simular o comportamento dos funcionários e transferir dinheiro para si mesmos, instruir caixas eletrônicos a liberar dinheiro em determinados horários e usar sistemas de pagamento eletrônico para receber o dinheiro. Alguns especialistas, como Ben Lawsky, dizem que um ataque dessa magnitude a um sistema bancário seria equivalente a um "11 de setembro cibernético". Sempre pesquise o histórico de segurança do banco antes de escolhê-lo. Não clique em links suspeitos em e-mails, fragmente documentos financeiros e esteja sempre atento a irregularidades em sua conta.

Em um mundo de ameaças virtuais que evoluem continuamente, o que fazer para se proteger? Ter consciência da segurança é a primeira linha de defesa. Existem ferramentas de segurança avançadas para ajudar, mas também é necessário usar o bom senso para proteger não só o computador e suas informações, mas a si mesmo.

Em um mundo de ameaças virtuais que evoluem continuamente, o que fazer para se proteger? Ter consciência da segurança é a primeira linha de defesa. Existem ferramentas de segurança avançadas para ajudar, mas também é necessário usar o bom senso para proteger não só o computador e suas informações, mas a si mesmo.

Etapas de precaução:

  1. Use senhas fortes para as contas, incluindo números, letras maiúsculas e minúsculas, que sejam difíceis de adivinhar, e não senhas como senha, 12345, etc
  2. Não abra e-mails suspeitos que solicitam a inserção de dados sigilosos
  3. Destrua documentos sigilosos
  4. Use uma VPN para proteger sua conexão com a Internet, caso precise usar uma rede Wi-Fi pública
  5. Sempre mantenha seu software antivírus atualizado.