content/pt-br/images/repository/isc/2017-images/malware-img-60.jpg

A Internet pode ser um lugar perigoso para crianças e adolescentes. De predadores cibernéticos a postagens em mídias sociais que podem se voltar contra eles no futuro, os perigos são assustadores. As crianças também podem, sem querer, expor suas famílias a perigos on-line, por exemplo, baixando acidentalmente programas de malware que podem dar aos criminosos virtuais acesso às contas bancárias de seus pais ou a outras informações sigilosas. A proteção das crianças na Internet é, acima de tudo, uma questão de conscientização: é preciso conhecer os perigos que existem e saber como se proteger. Um software de cibersegurança pode ajudar na proteção contra algumas ameaças, mas a medida de segurança mais importante é conversar com as crianças.

Veja aqui os sete maiores riscos que as crianças correm na Internet:

  1. Bullying virtual
    Segundo a Internetsafety101.org, 90% dos adolescentes que interagem nas mídias sociais ignoraram algum caso de bullying que presenciaram, enquanto um terço deles já foi a própria vítima do bullying virtual. As mídias sociais e os jogos on-line são hoje onde as crianças se divertem no mundo virtual, onde ocorre a maioria dos casos de bullying virtual. Por exemplo, as crianças podem ser vítimas de chacota nas interações nas mídias sociais. Ou, nos jogos on-line, elas ou seus "personagens de jogo" podem estar sujeitos a ataques incessantes, transformando um jogo que deveria ser uma aventura criativa em uma humilhação.
    O melhor método de proteção contra o bullying virtual é estar à vontade para conversar com as crianças sobre o que acontece em suas vidas e como se preparar para possíveis agressões.
  2. Predadores virtuais
    Predadores de todos os tipos, inclusive sexuais, podem perseguir as crianças na Internet, aproveitando sua inocência, abusando de sua confiança e até persuadindo-as a se encontrar com eles pessoalmente, o que é extremamente perigoso. Esses predadores agem nas mídias sociais e em sites de jogos atraentes para as crianças (os mesmos locais da Internet onde acontecem muitos dos casos de bullying virtual). Ali, eles conseguem explorar não só a inocência infantil, mas também seus sua imaginação. "Vamos fingir" é uma parte comum e saudável dos jogos e da interação on-line, mas os predadores usam essa fantasia como um gancho para atrair as crianças.
    O FBI disponibiliza orientações sobre como se proteger contra predadores e outros perigos on-line que comprometem a segurança das crianças. Entretanto, mais uma vez, a melhor proteção ainda é conversar com seu filho sobre o que acontece na vida dele.
  3. Publicação de informações privadas
    As crianças ainda não entendem muito bem os limites das redes sociais. Por exemplo, elas podem postar em seus perfis de mídias sociais informações pessoais que não deveriam ser divulgadas publicamente. Isso varia de fotos de momentos constrangedores até seus endereços residenciais.
    Se os seus filhos postam com a opção de exibição pública, você também terá acesso a tudo. E, se a mamãe e o papai podem ver, todos podem. Você não precisa bisbilhotar; mas converse com seus filhos sobre os limites entre o público e o privado.
  4. Phishing
    Phishing é como os profissionais de cibersegurança chamam o uso de e-mails para induzir as pessoas a clicar em links ou anexos maliciosos. ("Olha só! Você vai gostar disso!") Ele também acontece com mensagens de texto maliciosas (chamadas de "smishing").
    Os e-mails de phishing e as mensagens de smishing podem aparecer a qualquer momento, mas os criminosos virtuais que os criam observam os sites populares entre as crianças e reúnem informações como endereços de e-mail e nomes de amigos para usar em seus golpes. Ensine seus filhos a evitar clicar em e-mails ou mensagens de texto de estranhos e a tomar cuidado com mensagens que dizem ser de amigos, mas que não têm nenhuma mensagem pessoal incluída.
  5. Vítimas de golpes
    É provável que as crianças não acreditem em príncipes nigerianos que oferecem um milhão de dólares, mas elas podem cair em golpes que oferecem prêmios, como acesso gratuito a jogos on-line. Os jovens são presas fáceis de golpes, pois ainda não sabem como ser cautelosos. Assim como nos casos de phishing, os criminosos virtuais podem usar sites populares entre as crianças para identificar possíveis vítimas, e prometer algo, por exemplo, informações do cartão de crédito dos pais, em troca daquilo que eles querem.
    Isso serve para jovens ou velhos: a melhor proteção contra golpes é ter consciência de que, se algo parece muito bom para ser verdade, provavelmente é mentira. Ensine seus filhos a desconfiar de ofertas on-line que prometem demais.
  6. Download acidental de malware
    O malware é um software de computador instalado sem conhecimento ou permissão da vítima e que executa ações prejudiciais no computador. Isso inclui roubo de informações pessoais do computador ou sequestro da máquina para uso em uma "botnet", o que deteriora seu desempenho. Os criminosos virtuais induzem as pessoas a baixar malware. O phishing é um desses golpes, mas existem outros, como convencer as vítimas a baixar supostos jogos, o que pode ser especialmente sedutor para as crianças.
    Como nos golpes, conversar com as crianças é a melhor proteção, mas um software antivírus e as proteções de segurança relacionadas podem ajudar a proteger o computador do seu filho contra os malwares que conseguirem invadi-lo. Além disso, muitos produtos de segurança de Internet também envolvem controles para pais específicos para você definir uma estrutura segura para as atividades on-line de seus filhos.
  7. Postagens que podem se voltar contra seu filho no futuro
    Não existe uma tecla "Delete" na Internet. É praticamente impossível remover da Internet qualquer coisa que seja publicada on-line. Mas os adolescentes, principalmente, não consideram como um futuro chefe — ou, talvez um futuro cônjuge — pode reagir ao ver fotos "divertidas" ou qualquer outro conteúdo pessoal postado em seus perfis de mídias sociais ou outros sites.
    Explique aos adolescentes que eles podem até querer mudar a forma como se apresentam on-line, mas a Internet não permitirá.

A Internet pode ser um perigo para as crianças. Também pode abrir portas para um mundo com o qual as gerações anteriores nem sonhavam. Ajude seu filho a aproveitar as maravilhas do mundo on-line sem correr perigo.

Outras leituras e links úteis

Os sete maiores perigos que as crianças encontram na Internet: como garantir que elas estejam seguras

A Internet pode ser um lugar perigoso para crianças e adolescentes. De predadores cibernéticos a postagens em mídias sociais que podem se voltar contra eles no futuro, os perigos são assustadores.
Kaspersky Logo