Skip to main
content/pt-br/images/repository/isc/2021/impacts-of-technology-on-health-1.jpg

Com dezenas de bilhões de dispositivos conectados à Internet em todo o mundo, a tecnologia nos rodeia como nunca antes. A tecnologia tem muitos aspectos positivos, não menos importante, ajudando-nos a ficar conectados com outras pessoas, o que tem sido uma salvação durante toda a pandemia, mas, do lado dos benefícios, também existem consequências potenciais para a saúde que devem ser consideradas. Nesta visão geral, exploramos os efeitos do uso excessivo da tecnologia, e os impactos negativos e positivos da tecnologia na saúde.

Impactos negativos da tecnologia na saúde

Alguns dos problemas de saúde causados pela tecnologia incluem:

Problemas musculoesqueléticos

Olhar para um dispositivo eletrônico por longos períodos pode causar dores no pescoço e nas costas, bem como dores nos cotovelos, pulsos e mãos. Além disso, o uso de notebooks e smartphones pode envolver pessoas sentadas em posições consistentes com função ergonômica deficiente e posicionamento ergonômico deficiente. Bem como a dor nas costas devido ao uso do computador, muitas vezes causada por má postura jogando ou postura no computador, também houve relatos de "cotovelo de selfie" ou "polegar de mensagem de texto" causados pelo uso excessivo de tecnologia.

Como minimizar problemas musculoesqueléticos:

  • Para aliviar dores nas costas e pescoço, ajuste sua postura ao usar um dispositivo:
    • Garanta uma postura correta ao sentar-se ao computador, garantindo que sua mesa, assento e configuração de tela sejam otimizados, o NHS do Reino Unido tem orientações detalhadas sobre como fazer isso aqui.
    • Em vez de segurar o telefone no colo, você pode minimizar os problemas no pescoço segurando-o à sua frente. Posicionar o dispositivo de modo que fique na frente do seu rosto com a cabeça apoiada diretamente sobre os ombros é útil para o pescoço.
  • Considere o uso de uma mesa de apoio. Isso torna possível olhar diretamente para a tela do computador e ajuda a evitar os perigos de ficar sentado o dia todo.
  • Se enviar mensagens de texto com os polegares causar dor, pode ser necessário usar outros dedos para escrever ou usar uma caneta.
  • As pausas regulares da tela permitem que você caminhe, fique de pé ou se alongue, e ajudam a aliviar a dor muscular e o estresse.

Tensão ocular digital

A exposição constante a dispositivos digitais pode ser prejudicial aos nossos olhos. A tensão ocular digital, às vezes chamada de Síndrome da Visão de Computador (CVS), é um dos sintomas mais comumente relatados de muito tempo de tela. Por exemplo, um estudo sugeriu que mais de 60% dos americanos foram afetados por isso. Os sintomas de tensão ocular digital incluem olhos secos, vermelhidão ao redor dos olhos, dores de cabeça, visão turva, e dor no pescoço e nos ombros.

Como reduzir a tensão ocular digital:

  • Pratique a regra 20-20-20 para o uso saudável do dispositivo digital, ou seja, faça uma pausa de 20 segundos na tela a cada 20 minutos e olhe para algo a 20 pés (6 metros) de distância. Você pode definir um cronômetro a cada 20 minutos para funcionar como um lembrete.
  • Reduza a iluminação do teto para minimizar o brilho da tela.
  • Aumente o tamanho do texto em dispositivos para que você possa ler confortavelmente.
  • Certifique-se de que está piscando, quando olhamos para dispositivos digitais, podemos piscar com menos frequência, deixando os olhos secos. Se os olhos secos incomodam você, o uso de colírios pode ajudar.
  • Faça check-ups regulares nos olhos. A visão deficiente contribui para a tensão visual. Os check-ups regulares ajudarão a garantir prescrições oportunas quando você precisar delas.

Sono interrompido

Dormir o suficiente é vital para quase todas as funções corporais. Mas usar um notebook, tablet ou smartphone pouco antes de ir para a cama pode afetar sua capacidade de adormecer. Isso ocorre porque a chamada luz azul dos dispositivos pode aumentar o estado de alerta e atrapalhar o relógio biológico. Além disso, as atividades em dispositivos digitais podem ser estimulantes e nos deixar muito menos prontos para dormir. Como resultado, as pessoas podem ser absorvidas e continuar usando a tecnologia além da hora de dormir.

É importante distinguir entre dispositivos tecnológicos interativos e passivos. Dispositivos passivos são aqueles que requerem pouca ou nenhuma entrada dos usuários. Os exemplos incluem ouvir música, ler um e-book, ou assistir TV ou um filme. Com dispositivos interativos, o que é visto na tela muda com a entrada do usuário. Por exemplo, jogar um videogame é interativo, assim como bater papo nas redes sociais. As atividades interativas têm maior probabilidade de interromper o sono do que as atividades passivas.

Como evitar o sono interrompido:

  • Evite usar seu smartphone, notebook e tablet por pelo menos uma hora antes de ir dormir todas as noites. É mais provável que ler um livro relaxe você do que rolar pelos feeds de mídia social.
  • Escureça a tela o máximo possível para uso noturno. Em muitos leitores eletrônicos, você também pode inverter a cor da tela (ou seja, fonte branca em fundo preto). Muitos dispositivos agora vêm com um "modo noturno", que é mais agradável aos olhos antes de dormir.
  • Você pode considerar o uso de um programa de software para PCs e notebooks que diminui a quantidade de luz azul nas telas dos computadores, o que afeta os níveis de melatonina, e aumenta os tons de laranja. Um exemplo é um programa chamado f.lux que está disponível aqui.
  • Se possível, considere fazer do seu quarto uma zona sem telas.
  • Estabeleça uma rotina relaxante de hora de dormir que não envolva telas, para ajudar você a relaxar antes de dormir.

Inatividade física

O uso excessivo de smartphones, notebooks e tablets pode levar à inatividade física. Por exemplo, de acordo com um estudo, 38% dos pais temem que seus filhos não estejam fazendo exercícios físicos o suficiente devido ao tempo excessivo de tela.

Muito tempo sedentário tem sido associado a um risco aumentado de uma série de problemas de saúde, incluindo obesidade, doenças cardíacas, câncer e diabetes. A pandemia Covid-19, que manteve as pessoas em casa, aumentou a dependência da tecnologia digital e viu eventos esportivos em todo o mundo cancelados, não ajudou. Ainda assim, mesmo antes da Covid, estima-se que a inatividade física custava 5,3 milhões de vidas por ano em todo o mundo.

Como manter-se ativo:

  • A Organização Mundial da Saúde recomenda pelo menos 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividade vigorosa por semana para adultos. Organizações de saúde em todo o mundo desaconselham ficar sentado por muito tempo para todas as faixas etárias.
  • Levante-se e alongue-se a cada 20 a 30 minutos. Caminhe, faça pausas para ir ao banheiro, faça alongamentos simples para bombear sangue fresco e oxigênio pelo corpo.
  • Encontre uma atividade física que você goste, seja caminhar, andar de bicicleta, nadar ou praticar esportes coletivos.
  • Certos aplicativos e tecnologias vestíveis podem ajudar a manter você ativo, por exemplo, enviando notificações de push informando que é hora de se mover ou ajudando a definir e monitorar metas de fitness.

Problemas psicológicos

O tempo excessivo de tela pode afetar negativamente o bem-estar mental e emocional. Por exemplo, induzindo ansiedade porque alguém não respondeu rápido o suficiente ao seu WhatsApp ou mensagem de texto, ou verificando constantemente seus feeds de mídia social para ver quantas curtidas sua última postagem recebeu. É fácil para adultos e crianças se compararem desfavoravelmente com outras pessoas nas redes sociais, o que por sua vez pode levar a sentimentos de ansiedade.

Depois, há o "doomscrolling", 1 em cada 5 americanos agora obtém suas notícias nas redes sociais, o que é uma proporção mais significativa do que aqueles que leem a mídia impressa tradicional. Os usuários de mídia social que se conectam várias vezes ao dia podem ficar expostos a notícias ininterruptas, normalmente más notícias, como desastres naturais, eventos terroristas, divisão política, crimes de alto perfil, etc. Ir à loucura por más notícias nas redes sociais ou outras fontes on-line é conhecido como doomscrolling, que pode afetar adversamente a saúde mental.

Como minimizar os efeitos psicológicos:

  • Limite a quantidade de tempo que você gasta nas redes sociais, um estudo descobriu que quanto menos as pessoas usavam as redes sociais, menos deprimidas e solitárias elas se sentiam. Você pode usar um cronômetro ou aplicativo para controlar quanto tempo está gastando em sites de redes sociais.
  • Use atividades do mundo real para ajudar você a se concentrar em suas circunstâncias e arredores imediatos. Por exemplo, você pode ler um livro, assistir a um filme, passear, fazer bolos ou telefonar para um amigo.
  • Lembre-se de que a mídia social não é um verdadeiro reflexo da realidade, os feeds dos usuários costumam ser altamente selecionados e mostram apenas uma pequena parte da vida real.

Efeitos negativos em crianças

O uso excessivo de tecnologia pode ter um impacto significativo em crianças e adolescentes. Isso ocorre porque o cérebro das crianças ainda está em desenvolvimento, o que significa que elas podem ser mais sensíveis aos efeitos do uso excessivo da tecnologia do que os adultos. Por exemplo, alguns estudos sugerem que o tempo excessivo de tela e o uso de redes sociais entre crianças e adolescentes podem afetar as habilidades sociais, a criatividade, a capacidade de concentração, e os atrasos no desenvolvimento emocional e da linguagem. Além disso, os mesmos problemas descritos acima, má postura, cansaço visual, sono interrompido e falta de atividade física que leva à obesidade, também se aplicam a crianças.

Como minimizar o impacto nas crianças:

  • É importante que os pais e responsáveis monitorem o tempo de tela. A American Academy of Pediatrics recomenda que crianças menores de 18 meses evitem o tempo de tela completamente, exceto para bate-papo por vídeo, enquanto de 2 a 5 anos de idade não devem ter mais do que 1 hora por dia de visualização supervisionada. Para crianças mais velhas, a Academy não fornece mais um limite de tempo recomendado específico (anteriormente, não recomendava mais do que 2 horas por dia, mas isso foi visto como irreal devido ao quão difundida a tecnologia se tornou). Em vez disso, a Academy incentiva os pais e cuidadores a definirem limites de tela razoáveis com base em suas próprias circunstâncias.
  • Para ajudar seus filhos a dormir melhor, converse com eles sobre como os dispositivos digitais podem atrapalhar o sono e incentive-os a evitar telas por pelo menos uma hora antes de dormir.
  • Reserve um tempo sem tecnologia, por exemplo, desligando os aparelhos eletrônicos em horários específicos ou determinados dias da semana.
  • Modele bons comportamentos para seus filhos, evitando o uso excessivo de tecnologia e garantindo seu próprio tempo de tela saudável por dia.

Impacto na audição

O uso prolongado de fones de ouvido ou de alto volume pode causar perda de audição. A Organização Mundial da Saúde estima que 1,1 bilhão de jovens em todo o mundo correm o risco de perder a audição devido a práticas auditivas inseguras, em parte por ouvir música por meio de fones de ouvido. A exposição ao ruído é uma das causas mais comuns de perda auditiva.

Como minimizar o impacto na audição:

  • Os fones de ouvido externos são considerados a melhor opção porque, ao contrário dos fones de ouvido que transmitem música diretamente no ouvido, eles fornecem um espaço de proteção entre a música e o canal auditivo.
  • Fones de ouvido de melhor qualidade provavelmente melhorarão sua experiência auditiva e protegerão sua audição.
  • Você também pode considerar o uso de fones de ouvido com cancelamento de ruído, que funcionam usando ondas inversas para cancelar o som de entrada. Outra opção são os fones de ouvido com isolamento de ruído, que criam uma vedação ao redor do ouvido que cria uma barreira física entre o ouvido e o ruído externo.
  • Os especialistas recomendam ouvir no máximo 85 decibéis (dB) por no máximo 8 horas por dia.
Uma mulher usando um aplicativo de fitness em seu smartphone e relógio inteligente. Os aplicativos de monitoramento de fitness são um exemplo dos potenciais efeitos positivos da tecnologia na saúde.

Efeitos positivos da tecnologia na saúde

Nem tudo é ruim: há muitas maneiras pelas quais a tecnologia também pode impactar positivamente nossa saúde. Por exemplo, dispositivos ou aplicativos digitais podem ajudar a melhorar nossas dietas, monitorar suas atividades físicas, atuar como um lembrete para levantar e mover-se ou tomar nossos medicamentos. Há uma grande quantidade de informações médicas confiáveis e bem fornecidas on-line, o que permite que as pessoas pesquisem suas próprias condições de saúde (embora seja importante observar que também existe desinformação, e pesquisar informações sobre sintomas de saúde on-line às vezes pode ser uma faca de dois gumes, causando preocupação desnecessária).

Além disso, a tecnologia ajuda os prestadores de serviços médicos a garantir um melhor atendimento ao paciente, melhorar o relacionamento com os pacientes e fornecer resultados médicos diretamente aos telefones dos pacientes. Exemplos:

  • Registros médicos on-line que dão aos pacientes acesso aos resultados dos testes e permitem que eles preencham prescrições.
  • Aplicativos que rastreiam doenças crônicas e comunicam informações essenciais aos médicos.
  • Consultas médicas virtuais, por meio de consultas por vídeo e telefone, especialmente durante e após a Covid.

Dicas para usar a tecnologia de maneira saudável

Algumas dicas para garantir um tempo de tela saudável incluem:

  • Remover aplicativos desnecessários de seu telefone para evitar que você os verifique constantemente em busca de atualizações.
  • Estabelecer limites de tempo de uso e cumpri-los.
  • Fazer logoff e pausas regulares.
  • Revisar e maximizar suas configurações de privacidade nas redes sociais. Ser seletivo sobre o que você deseja postar e quem você deseja ver.
  • Manter os horários das refeições livres de gadgets.
  • Manter dispositivos eletrônicos fora de seu quarto. Virar relógios e outros dispositivos brilhantes em direção à parede na hora de dormir. Evitar usar dispositivos digitais por pelo menos uma hora antes de ir para a cama.
  • Use a Internet para se manter conectado, mas priorize os relacionamentos do mundo real em vez dos virtuais.

Se você é pai ou responsável, muitos dos mesmos princípios se aplicam:

  • Estabeleça limites para o tempo de tela e restrinja-o antes da hora de dormir e durante as refeições.
  • Incentive as interações pessoais em vez das interações on-line.
  • Incentive as crianças a brincar sem tecnologia.
  • Certifique-se de estar ciente de quais programas, jogos e aplicativos eles estão gastando tempo, você pode ler nosso artigo sobre aplicativos e sites que os pais precisam saber aqui.
  • Explore a tecnologia junto com seus filhos.
  • Use um aplicativo de controle dos pais como o Kaspersky Safe Kids, além de minimizar sua exposição a conteúdo impróprio, ele também ajuda a gerenciar seu tempo de tela, e inclui conselhos de especialistas e dicas de psicólogos infantis sobre tópicos on-line.

Em resumo: a tecnologia é um aspecto integral da vida moderna, e há efeitos positivos e negativos do uso do computador na saúde humana. Tomar medidas sensatas, como definir limites no tempo de tela, garantir a postura correta, fazer pausas regulares e se manter ativo, pode ajudar a minimizar os impactos da tecnologia na saúde.

Artigos relacionados:

Como a tecnologia afeta sua saúde física?

Problemas de saúde causados pela tecnologia, sintomas de muito tempo diante da tela, jogos e postura do computador, além dos efeitos positivos da tecnologia na saúde.
Kaspersky Logo