Android Malware Threats 2012 Infographic

Android Malware Threats 2012 Infographic

Com o aumento no número de pessoas que usam seus smartphones e tablets para navegar pela Web, atualizar sites de redes sociais, comprar e fazer transações bancárias online, cada vez mais os criminosos virtuais e malwares visam esses aparelhos com novas ameaças para smartphones e dispositivos móveis.

Dispositivos Android estão ‘sob ataque’

No decorrer de 2012, 99% de todos os malwares móveis detectados pela Kaspersky Lab estavam direcionados à plataforma Android. Durante o ano, os especialistas em segurança de Internet da Kaspersky identificaram mais de 35.000 programas maliciosos no Android.

As razões para o avassalador aumento de malwares no Android são:

  • A plataforma Android se tornou o sistema operacional mais difundido dos novos smartphones – detém mais de 70% de participação de mercado.
  • A natureza aberta do sistema Android, a facilidade de criar aplicativos e a grande variedade de mercados de aplicativos (não oficiais) acabam influenciando a segurança.

Quais tipos de ameaças afetam os dispositivos Android?

Os objetos maliciosos mais disseminados detectados em smartphones Android podem ser divididos em três grupos principais:

Foi encontrado malware em lojas de aplicativos. Durante 2012, a Kaspersky detectou programas maliciosos no Google Play, na Amazon app store e em outras lojas de aplicativos.

Riscos à segurança de transações bancárias online para usuários Android

Os bancos europeus e americanos e os sistemas de pagamento eletrônico oferecem diversas maneiras de proteger as transações dos usuários, incluindo autenticações que usam e-tokens, senhas temporárias, confirmação de transações por meio de códigos enviados ao telefone, entre outras.

Mesmo assim, os criminosos virtuais desenvolvem programas que tentam burlar essas medidas. Por exemplo, a família Zitmo de programas tem a finalidade de atacar o celular do usuário e é capaz de burlar sistemas de autenticação de fator duplo usados por bancos da Europa. Esses programas maliciosos funcionam em parceria com o Zbot (ZeuS):

  • Primeiro o Zbot rouba o nome de usuário e a senha para acessar o sistema bancário online pelo computador infectado.
  • Depois, durante a transferência do dinheiro, o Zitmo – contraparte móvel do Zbot – assume o comando e encaminha o código de autorização da transação para os criminosos virtuais.