Até que ponto seu celular está seguro? Além do debate entre Android e iPhone, quais são as suas opções para ter mais segurança nos smartphones para você e a sua empresa? Os dispositivos móveis se tornaram parte integrante e indispensável nas vidas de todos, por isso atraem o interesse de hackers criminosos, ansiosos por roubar suas informações vitais. Veja aqui algumas dicas para ajudá-lo a se proteger.

Três camadas de segurança

Conforme observa a InfoWorld, todos os smartphones têm três elementos básicos de segurança. Sua primeira tarefa importante como usuário de dispositivo móvel é conhecer essas camadas e ativá-las em seus dispositivos:

  1. Proteção do dispositivo: permite a "limpeza" remota dos dados, caso o dispositivo seja perdido ou roubado.
  2. Proteção de dados: evita que dados corporativos sejam transferidos para aplicativos pessoais executados no mesmo dispositivo ou para a rede pessoal
  3. Segurança do gerenciamento de aplicativos: protege as informações contidas nos aplicativos para que não sejam comprometidas.

A segurança do smartphone não depende apenas do aparelho, mas também da tecnologia de gerenciamento de dispositivos móveis (MDM) instalada nos servidores da empresa, que controla e gerencia a segurança do dispositivo. Ambos precisam trabalhar em conjunto para garantir uma segurança adequada. É preciso olhar o panorama geral. Por exemplo, os telefones BlackBerry foram desenvolvidos e construídos para uso corporativo. Sua segurança é excelente, mas a BlackBerry oferece poucos dos aplicativos mais populares. Você precisa de outro tipo de smartphone para uso pessoal, que inclua compras e serviços bancários. Ou seja, você também precisa se preocupar com a segurança desse celular. Quanto mais dispositivos você usar, principalmente se eles estiverem conectados pela nuvem ou por outro serviço, maior será a preocupação com a segurança geral da rede móvel.

Conforme mais aplicativos chegam ao mercado, principalmente os celulares iOS e Android mais utilizados, aumenta a questão da segurança, seja qual for o dispositivo móvel usado. O especialista em tecnologia móvel Ira Grossman, mencionado na CRN, diz que "se você não tem um aplicativo seguro, a segurança do sistema operacional não faz diferença". Na verdade, quando os profissionais falam em proteger toda a "pilha" de um dispositivo, eles se referem tanto ao sistema operacional quanto aos aplicativos executados. A maioria dos telefones tem configurações para verificar todos os aplicativos provenientes de fontes desconhecidas antes de baixá-los. Como regra, use a App Store, o Google Play ou a Microsoft Store e evite as lojas de aplicativos de terceiros. Mesmo assim, sempre leia as avaliações, mesmo nas lojas oficiais, para não correr o risco de adicionar algo suspeito ao dispositivo.

Android x iPhone x Blackberry x Windows Phone

A segurança do Android tem reputação questionável, principalmente porque ela não pertence a ninguém. Ou seja, ninguém regulamenta o que pode ou não ser oferecido como aplicativo para Android, nem o que pode ser vendido como telefone Android. Mas, conforme informado pela Forbes, você pode proteger seu telefone Android, mantendo-o atualizado e evitando baixar aplicativos de origem desconhecida ou duvidosa. Os dispositivos Android mais recentes aceitam o Android for Work do Google, feito para proteger aplicativos e utilizações relacionados ao trabalho. Além disso, os dispositivos Android recentes da Samsung também são compatíveis com a tecnologia de segurança Knox, própria da Samsung. O sistema operacional iOS da Apple é totalmente controlado pela empresa, que também controla de perto os aplicativos disponíveis na App Store. Por esse controle, os dispositivos da Apple oferecem boa segurança "imediata", mas com algumas restrições ao usuário. Por exemplo, o iOS permite somente uma cópia de um aplicativo em cada dispositivo. Por isso, se o usuário tem uma cópia de um aplicativo fornecida pela empresa, com restrições de segurança integradas, ele não poderá ter uma versão ilimitada do mesmo aplicativo para uso pessoal. A Blackberry também controla rigidamente os dispositivos e aplicativos. Além disso, seus dispositivos foram concebidos para o MDM, que facilita seu gerenciamento e proteção. O Windows Phone também tem certo nível de controle centralizado, mas com um histórico de falhas de segurança. Porém, seu desempenho tem melhorado com a adoção por mais usuários.

Vantagens e desvantagens

Quando se trata de segurança, não existe um dispositivo ou sistema operacional definitivamente "melhor". A segurança de seu smartphone depende de suas necessidades pessoais e profissionais e do seu nível de conhecimento tecnológico. Veja aqui as vantagens e desvantagens de cada tipo de dispositivo, junto com alguns itens a serem considerados na hora de tomar uma decisão:

Android

  • Vantagem: altamente configurável; você controla totalmente as configurações de privacidade.
  • Contra: a falta de padronização resulta em uma segurança "imediata" fraca.
  • Dica: recomendado se você tiver facilidade para ajustar as configurações e ferramentas de segurança.

Apple (iOS)

  • Vantagem: consistência e confiabilidade; você sabe o que tem em mãos.
  • Desvantagem: não deixa de ser vulnerável a malware e é totalmente dependente das práticas de segurança da Apple. Além disso, embora os produtos da Apple sejam mais caros do que os Android, eles não garantem a segurança total, e você ainda fica vulnerável a malware e a hackers.
  • Dica: provavelmente, a opção mais simples para uma segurança "muito boa".

BlackBerry

  • Vantagem: criado para oferecer segurança empresarial com solidez industrial.
  • Contra: talvez você precise de outro dispositivo pessoal, que pode ter suas próprias questões de segurança.
  • Dica: a melhor opção se você trabalha em setores como o financeiro, em que a segurança é imprescindível.

Windows Phone

  • Vantagem: compatível com o Windows; desempenho da segurança cada vez melhor.
  • Contra: histórico de desempenho de segurança duvidoso no passado.
  • Dica: a melhor opção se a compatibilidade com o Windows for uma das principais exigências.

Cada opção de smartphone tem pontos fortes e limitações relacionados à segurança móvel. A forma como você usa seu smartphone e sua facilidade de ajustar as configurações de segurança são fatores importantes na hora de escolher a melhor opção. Porém, não há dúvida de que essa discussão continuará conforme mais dispositivos chegam ao mercado e as medidas de segurança se tornam cada vez mais importantes.

Você sabia?

O cavalo de Troia é uma das ameaças mais notórias em dispositivos móveis: ele constitui mais de 95% do malware em dispositivos móveis. Mais de 98% dos ataques a serviços bancários em dispositivos móveis têm como alvo dispositivos Android, o que não é uma surpresa. O Android é a plataforma móvel mais popular do mundo (mais de 80% do mercado de smartphones mundial) e, de todas as plataformas móveis mais usadas, somente o Android permite a distribuição não oficial de software.

#Cavalos de Troia para bancos: a principal #ameaça virtual em dispositivos móveis

Publique isso no Twitter!

Em junho de 2015, um novo cavalo de Troia foi descoberto na Rússia: o Android.Bankbot.65.Origin foi disfarçado como sendo o aplicativo oficial corrigido Sberbank Online. Ele oferecia "diversos recursos de serviços bancários móveis", disponibilizados após a instalação da "versão mais recente".

Na verdade, o aplicativo se mantinha como uma ferramenta de banco móvel funcional, por isso os usuários não percebiam a troca. Como resultado, em julho, 100.000 usuários do Sberbank informaram prejuízos de mais de 2 bilhões de rublos. Todos eles usavam o falso aplicativo “Sberbank Online”.

Não é preciso dizer que a história dos cavalos de Troia voltados para bancos continua: cada vez mais novos aplicativos são criados e, com eles, mais técnicas eficientes são usadas pelos invasores para atrair os usuários para suas armadilhas. Por isso, está mais do que na hora de proteger corretamente seu smartphone Android.