Skip to main

Criptomoeda – significado e definição

A criptomoeda refere-se a qualquer forma de moeda que existe digital ou virtualmente e usa criptografia para garantir a realização de transações. As criptomoedas não têm uma autoridade central de emissão ou regulação. Em vez disso, usam um sistema descentralizado para registrar transações e emitir novas unidades.

O que é criptomoeda?

Criptomoeda é um sistema de pagamento digital que não depende de bancos para verificar e confirmar transações. É um sistema ponto a ponto que permite a qualquer pessoa enviar e receber pagamentos de qualquer lugar. Em vez do dinheiro físico transportado e trocado no mundo real, os pagamentos em criptomoeda existem unicamente como valores digitais em um banco de dados online que documenta as transações específicas. Ao transferir fundos de criptomoeda, as transações são registradas em um livro contábil público. A criptomoeda é armazenada em carteiras digitais.

A criptomoeda tem esse nome porque usa o recurso de criptografia para verificar as transações. Isso significa que uma codificação avançada está envolvida no armazenamento e na transmissão de dados de criptomoeda entre as carteiras e os livros contábeis públicos. O objetivo da criptografia é oferecer segurança e proteção.

A primeira criptomoeda foi o Bitcoin,criada em 2009 e ainda hoje a mais conhecida. Grande parte do interesse em criptomoedas é a negociação de mercado visando o lucro, com especuladores às vezes impulsionando os preços até as alturas.

Como a criptomoeda funciona?

As criptomoedas são executadas em um livro público distribuído chamado blockchain, um registro de todas as transações atualizadas e mantidas pelos detentores das moedas.

Unidades de criptomoedas são criadas por meio de um processo chamado mineração, que envolve o uso de potência de computação para resolver problemas matemáticos complicados que geram moedas. Os usuários também podem comprar moedas com as corretoras, depois armazená-las e gastá-las usando carteiras criptográficas.

Se você possui criptomoeda, não possui nada físico, mas uma chave que permite mover um registro ou uma unidade de medida de uma pessoa para outra, sem necessidade de uma terceiro confiável.

Embora o Bitcoin exista desde 2009, criptomoedas e aplicativos de tecnologia blockchain ainda estão no começo em termos financeiros, mais usos são esperados no futuro. Transações incluindo títulos, ações e outros ativos financeiros poderiam eventualmente ser negociadas usando essa tecnologia.

Exemplos de criptomoedas

Há milhares de criptomoedas no mundo. Entre as mais conhecidas, estão:

Bitcoin:

Fundada em 2009, o Bitcoin foi a primeira criptomoeda e continua a ser a mais negociada. A moeda foi desenvolvida por Satoshi Nakamoto, que acredita-se ser um pseudônimo para um indivíduo ou grupo de pessoas cuja identidade exata permanece desconhecida.

Ethereum:

Desenvolvida em 2015, o Ethereum é uma plataforma blockchain com sua própria criptomoeda, chamada Ether (ETH) ou Ethereum. Depois do Bitcoin, é a criptomoeda mais popular.

Litecoin:

Esta moeda é semelhante ao bitcoin, mas tem evoluído mais rapidamente para desenvolver inovações, incluindo pagamentos e processos mais rápidos para permitir mais transações.

Ripple:

O Ripple é um sistema de livros distribuídos fundado em 2012. O Ripple pode ser usado para rastrear diferentes tipos de transações, não apenas criptomoedas. A empresa por trás da moeda trabalhou em cooperação com vários bancos e instituições financeiras.

As criptomoedas não-bitcoin são coletivamente conhecidas como "altcoins" para distingui-las da original.

Como adquirir criptomoedas?

Você deve estar se perguntando como pode comprar criptomoedas com segurança. Normalmente há três passos a serem tomados, que são:

Passo 1: Escolha uma plataforma

O primeiro passo é decidir qual plataforma usar. Geralmente, você pode escolher entre uma corretora tradicional ou uma bolsa de valores de criptomoedas dedicada:

  • Corretoras tradicionais. São corretoras online que oferecem maneiras de comprar e vender criptomoedas, além de outros ativos financeiros, como ações, títulos e ETFs. Essas plataformas tendem a oferecer custos de negociação mais baixos, mas menos recursos de cripto.
  • Câmbio de criptomoedas. Existem muitas criptobolsas para escolher, cada um oferecendo criptomoedas diferentes, armazenamentos de carteira, opções de conta com juros e muito mais. Muitas bolsas cobram taxas baseadas em ativos.

Ao comparar diferentes plataformas, considere quais criptomoedas estão em oferta, quais as taxas cobradas, os recursos de segurança, opções de armazenamento e de saque e quaisquer recursos educacionais.

Passo 2: Transfira fundos para a sua conta

Depois de escolher sua plataforma, o próximo passo é financiar sua conta para que você possa começar a negociar. A maioria dos câmbios de criptomoedas permite aos usuários comprarem criptomoedas usando moedas fiduciárias (ou seja, emitidas pelo governo), como o Dólar Americano, a Libra Britânica ou o Euro, usando cartões de débito ou crédito. As normas variam de acordo com a plataforma.

Compras de criptomoeda com cartões de crédito são consideradas arriscadas, e algumas câmbios não aceitam esse tipo de transação. Algumas empresas de cartão de crédito também não permitem transações de criptomoeda. Isso se deve ao fato das criptomoedas serem altamente voláteis. Não é aconselhável correr o risco de se endividar ou potencialmente pagar altas taxas de cartão de crédito para determinados ativos.

Algumas plataformas também aceitarão transferências bancárias. Os métodos de pagamento aceitos e o tempo necessário para depósitos ou saques diferem por plataforma. Da mesma forma, o tempo necessário para que os depósitos sejam processados varia de acordo com o método de pagamento.

Um fator importante a considerar são as taxas. Isso envolve taxas potenciais de transação de depósito e saque, além de taxas de negociação. As taxas variam de acordo com o método de pagamento e a plataforma, algo que você deve pesquisar no início.

Passo 3: Faça seu pedido

Você pode fazer um pedido através da web ou plataforma móvel da corretora ou do câmbio. Se estiver planejando comprar criptomoedas, pode fazê-lo selecionando "comprar", escolhendo o tipo de pedido, inserindo a quantidade de criptomoedas desejada e confirmando o pedido. O mesmo processo se aplica a ordens de "venda".

Há também outras formas de investir em criptomoedas. Estas incluem serviços de pagamento como PayPal, Cash App e Venmo, que permitem aos usuários comprar, vender ou manter criptomoedas. Além disso, existem os seguintes veículos de investimento:

  • Bitcoin trusts: Você pode comprar ações de bitcoin trusts por meio de uma conta de corretagem regular. Esses veículos dão aos investidores de varejo acesso a criptomoedas através do mercado de ações. 
  • Fundos mútuos de bitcoin: Existem ETFs de bitcoin e fundos mútuos bitcoin disponíveis. 
  • Ações de blockchain ou ETFs: Você também pode investir indiretamente em criptomoedas por meio de empresas especializadas na tecnologia blockchain que executam transações de criptomoeda. Alternativamente, você pode comprar ações ou ETFs de empresas que usam a tecnologia blockchain.

 

A melhor opção dependerá das suas metas de investimento e apetite ao risco.

Como armazenar criptomoedas

Após comprar a criptomoeda, você precisa armazená-la com segurança para protegê-la contra hackers ou roubos. Normalmente, a criptomoeda é armazenada em criptocarteiras, que são dispositivos físicos ou software online usado para armazenar as chaves privadas de criptomoedas com segurança. Algumas casas de câmbio fornecem serviços de carteira, facilitando o armazenamento diretamente na plataforma. No entanto, nem todas as bolsas ou corretoras fornecem automaticamente serviços de carteira.

Existem diferentes provedores de carteira disponíveis no mercado. São usados os termos "carteira quente” e “carteira fria”:

 

  • Armazenamento em carteira quente: As "carteiras quentes" referem-se ao armazenamento de criptomoeda que usa software online para proteger as chaves privadas dos ativos.
  • Armazenamento em carteira fria: Ao contrário das carteiras quentes, as carteiras frias (também conhecidas como carteiras de hardware) dependem de dispositivos eletrônicos offline para armazenar as chaves privadas com segurança.

Normalmente, as carteiras frias tendem a cobrar taxas, enquanto as carteiras quentes não.

Como adquirir criptomoedas.

O que é possível comprar com a criptomoeda?

Quando foi lançado pela primeira vez, o Bitcoin visava ser um meio para transações diárias, tornando possível comprar tudo, desde um café até um computador, ou mesmo itens de alto valor, como imóveis. Isso ainda não se tornou realidade e, embora o número de instituições que aceitam criptomoedas está crescendo, transações de alto valor nessa moeda ainda são raras. Mesmo assim, é possível comprar uma grande variedade de produtos de sites de e-commerce usando a criptomoeda. Veja alguns exemplos:

Sites de tecnologia e e-commerce:

Várias empresas que comercializam produtos tecnológicos aceitam criptomoedas para compra em seus sites, como newegg.com, AT&T e Microsoft. A Overstock, uma plataforma de comércio eletrônico, foi um dos primeiros sites a aceitar o Bitcoin. Shopify, Rakuten e Home Depot também já aceitam.

Artigos de luxo:

Alguns varejistas de produtos de luxo aceitam criptomoeda como forma de pagamento. Por exemplo, o varejista de luxo online Bitdials vende Rolex, Patek Philippe e outros relógios de alta qualidade em troca de Bitcoin.

Carros:

Algumas revendedoras de marcas populares e também de carros de luxo já aceitam a criptomoeda como pagamento.

Seguros:

Em abril de 2021, a seguradora suíça AXA anunciou que havia começado a aceitar o Bitcoin como forma de pagamento para todas as suas linhas de seguro, exceto seguro de vida (devido a questões regulatórias). A Premier Shield Insurance, que vende apólices de seguro residencial e veicular nos EUA, também aceita Bitcoin para pagamentos na linha premium.

Se você quer usar criptomoeda com um varejista que não aceita diretamente, pode usar um cartão de débito de criptomoeda, como o BitPay nos EUA.

Fraudes e golpes em criptomoedas

Infelizmente, o crime relacionado a criptomoedas está aumentando. Os golpes de criptomoedas incluem:

Sites falsos: Sites fraudulentos que apresentam depoimentos falsos e jargões sobre criptomoeda, prometendo retornos maciços e garantidos, desde que você continue investindo.

Esquemas Ponzi virtuais: Os criminosos de criptomoedas promovem oportunidades falsas de investimento em moedas digitais e criam a ilusão de grandes retornos, pagando os primeiros investidores com dinheiro de novos investidores. Uma operação fraudulenta, a BitClub Network, arrecadou mais de US$ 700 milhões antes que seus autores fossem indiciados em dezembro de 2019.

Endosso de "celebridades": Os estelionatários posam online como se fossem bilionários ou pessoas conhecidos que prometem multiplicar seu investimento em moeda virtual, mas em vez disso roubam o dinheiro recebido. Eles também podem usar aplicativos de mensagens ou salas de chat para espalhar boatos de que um famoso empresário está apoiando uma determinada criptomoeda. Após engajarem investidores na compra e aumentaram o preço, os fraudadores vendem sua participação e a moeda perde valor.

Golpes de relacionamentos amorosos: O FBI vem alertando para uma tendência em golpes de relacionamentos online,onde trapaceiros convencem pessoas a se encontrarem por meio de aplicativos de namoro ou redes sociais, levando-as a investir ou negociar em moedas virtuais. O Centro de Queixas de Crimes na Internet do FBI registrou mais de 1.800 relatos de golpes de relacionamento focados em criptomoedas nos primeiros sete meses de 2021, com prejuízos que atingiram US$ 133 milhões.

Os fraudadores também podem se passar por negociadores legítimos de moedas virtuais ou criar transações falsas para ludibriar pessoas a lhes dar dinheiro. Outro golpe de criptomoeda envolve promoções fraudulentas de vendas para contas de pensão individuais em criptomoedas. Há também a violação direta de criptomoedas, na qual os criminosos invadem as carteiras digitais de pessoas para roubar a moeda virtual.

A criptomoeda é segura?

Geralmente, as criptomoedas são criadas usando a tecnologia blockchain. A blockchain refere-se à forma como as transações são registradas em "blocos" e identificadas com um carimbo de data/hora. É um processo bastante técnico e complexo, mas o resultado é um livro contábil digital de transações em criptomoeda difícil de ser adulterado por hackers.

Além disso, as transações exigem um processo de autenticação de dois fatores. Por exemplo, pode ser solicitado que você informe um nome de usuário e uma senha para iniciar uma transação. Em seguida, talvez seja necessário digitar um código de autenticação enviado por SMS para seu celular pessoal.

Embora existam medidas de segurança implementadas, isso não significa que as criptomoedas não podem ser hackeadas. Várias violações de alto valor custaram caro a start-ups de criptomoedas. Os hackers conseguiram penetrar no Coincheck e roubar o montante de US$ 534 milhões e também o BitGrail, de onde levaram US$ 195 milhões, tornando esses ataques duas das maiores violações de criptomoedas de 2018.

Ao contrário das moedas administradas por nações, o valor das moedas virtuais é impulsionado inteiramente pela oferta e demanda. Isso pode criar oscilações radicais que produzem ganhos ou perdas astronômicas para os investidores. E os investimentos em criptomoedas estão sujeitos a uma proteção muito menos regulatória do que os produtos financeiros tradicionais, como ações, títulos e fundos de participação.

Quatro dicas para investir em criptomoeda com segurança

De acordo com a Consumer Reports, todos os investimentos representam risco, mas alguns especialistas consideram a criptomoeda uma das escolhas mais arriscadas do mercado. Se estiver planejando investir em criptomoeda, estas dicas poderão ajudar você a fazer escolhas mais criteriosas.

Pesquise as moedas:

Antes de investir qualquer centavo, saiba mais sobre as cotações de criptomoeda. Estima-se que haja mais de 500 moedas à escolha. Faça uma pesquisa, leia as avaliações e fale com investidores mais experientes, antes de prosseguir.

Saiba como armazenar suas moedas digitais:

Se você comprar criptomoeda, precisará armazená-la. Você pode mantê-la em uma casa de câmbio ou em uma carteira digital. Embora existam muitos tipos diferentes de carteiras, cada uma tem suas próprias vantagens, requisitos técnicos e segurança. Assim como as bolsas de valores, você deve investigar suas opções de armazenamento antes de investir.

Diversifique os investimentos:

A diversificação é o segredo para qualquer boa estratégia de investimento, e isso vale também para quem quer investir em criptomoeda. Não coloque todo o seu dinheiro em bitcoins, por exemplo, só porque já ouviu falar nesse nome. Há milhares de opções, e o melhor é distribuir seus investimentos em várias moedas.

Prepare-se para a volatilidade:

O mercado de criptomoedas é volátil, então, prepare-se para enfrentar altos e baixos. Você verá alterações drásticas nos preços. Se a sua carteira de investimentos ou seu bem-estar mental não suportam bem esse estilo de transação, as criptomoedas podem não ser uma boa opção para você.

A criptomoeda está em alta, mas lembre-se: esse é um modelo que ainda está engatinhando e é considerado altamente especulativo. Investir em algo novo traz muitos desafios, por isso, prepare-se. Se você pretende entrar nessa, comece fazendo uma pesquisa e invista de maneira conservadora.

Uma das melhores maneiras de manter a proteção online é usar um antivírus de alta qualidade. Recomendamos o Kaspersky Internet Security, que protege você contra todas as infecções de malware, spyware e roubo de identidades, além de proteger suas transações online, graças ao uso de criptografia de nível bancário.

Artigos relacionados:

O que é criptomoeda e como funciona?

A criptomoeda é uma moeda digital que usa criptografia para garantir seu valor em transações. Saiba mais sobre como comprar criptomoedas e como ficar de olho em golpes de criptomoedas.
Kaspersky Logo